2 truques que Satanás usa para nos afastar do arrependimento

Apesar de não termos que nos preocupar e pensar demais em Satanás e em seus propósitos, ao pensarmos honestamente sobre o desejo de nos arrependermos e seguirmos o Salvador, precisamos saber que as forças do adversário tentam impedir o nosso arrependimento.

“Portanto, todas as coisas boas vêm de Deus; e o que é mau vem do diabo; porque o diabo é inimigo de Deus e luta constantemente contra ele e convida e incita a pecar e a fazer continuamente o mal.”

Embora as tentações de Lúcifer sejam habilmente feitas para parecer aceitáveis, na realidade ele “não persuade quem quer que seja a fazer o bem; não, ninguém; tampouco o fazem seus anjos; nem o fazem os que a ele se sujeitam.”

Com os nossos esforços para nos arrependermos, recebermos mais o amor de Deus e o perdão de nossos pecados, Satanás aumenta seus artifícios, na esperança de que nos voltemos para nossos pecados. O Profeta Joseph Smith ensinou:

“Quanto mais uma pessoa se aproximar do Senhor, mais o adversário manifestará seu poder, para impedir o cumprimento de Seus propósitos.”

O ser que chamamos Lúcifer foi “um anjo de Deus, que possuía autoridade na presença de Deus,” mas “que se rebelou contra Deus e procurou tomar o reino de nosso Deus e seu Cristo”.

Jesus declarou que “não há verdade nele… porque é mentiroso. Ele quer que sejamos “tão miseráveis como ele próprio.”

Ao buscarmos a Deus em oração, e pedir que a Expiação do Salvador faça parte de nossas vidas, Satanás com a sedutora voz do pecado tentará nos impedir de seguir em frente.

Decepções

O primeiro apelo de Satanás é nos dizer que não há necessidade de arrependimento. “Essas ações que são chamadas de pecado,”ele sussurra, “Não são pecados, mas acontecimentos compreensíveis do mundo ao nosso redor.”

“E a outros pacificará e acalentará com segurança carnal, de modo que dirão: Tudo vai bem… não há inferno; e diz: Eu não sou o diabo, porque ele não existe.”

Para aqueles que desejam se arrepender, essas palavras astutas são frequentemente ineficazes, por sentirem a tristeza e o sofrimento que os pecados trouxeram, e por sentirem a culpa e a dor do pecado, eles reconhecem que é necessário mudar.

O enganador tem outras afirmações, onde sutilmente diz para a pessoa que deseja se arrepender que ele ou ela não é capaz de fazer o que é necessário para ser perdoado, ou ainda pior, que ele ou ela não é digno da ajuda de Deus.

O adversário incita o desespero, a falta de esperança, o sentimento de “isso pode funcionar para outra pessoa, mas eu sou tão fraco, falhei tanto na vida, que para mim é impossível. Estou condenado a exclusão de uma vida eterna com o meu Pai Celestial e Jesus Cristo.”

Para sobrepujar essas palavras de desespero, devemos nos voltar para o Pai Celestial em oração e para as palavras do Salvador, Jesus Cristo:

“Ó vós todos, que fostes poupados porque éreis mais justos do que eles, não volvereis a mim agora, arrependendo-vos de vossos pecados e convertendo-vos, para que eu vos cure? Sim, em verdade vos digo que, se vierdes a mim, tereis vida eterna. Eis que meu braço de misericórdia está estendido para vós e aquele que vier, eu o receberei; e benditos são os que vêm a mim.”

Se você está determinado a sinceramente retornar ao seu Pai Celestial, você não perderá a divina benção do perdão.

Com o desejo nos oferecer a esperança que precisamos, Jesus contou a parábola do filho pródigo. Humilhado por estar “vivendo dissolutamente”, o filho caiu em si. Ele percebeu seu erro. Ele sabia que deveria mudar e disse:

“Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti.”

A escritura continua dizendo:

“E levantando-se, foi para seu pai; e quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão, e correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.”

Prometo que não importa o quão vazio ou indigno você se sinta, nosso Pai Celestial e Seu Filho Amado esperam por você.

O sofrimento do Salvador, o pagamento Dele pelo pecado, foi para você, assim como para aqueles que você acredita que são mais dignos do que você mesmo. A Expiação de Jesus Cristo pode tirá-lo do abismo da sua condição atual.

A tentação de procrastinar o arrependimento

Uma outra distorção que o adversário coloca na direção daqueles que desejam se arrepender é o seu falso apelo para adiar ou atrasar o arrependimento. O Presidente Henry B. Eyring disse:

“A tentação de procrastinar provém de nosso inimigo, Lúcifer. Ele sabe que nunca poderemos ser verdadeiramente felizes, a menos que tenhamos esperança nesta vida e alcancemos a vida eterna na próxima. Essa é a maior de todas as dádivas de Deus.”

“Desse modo Satanás tenta-nos com a procrastinação durante todos os dias de nossa provação. Qualquer decisão de retardarmos o arrependimento dá-lhe a chance de privar um filho espiritual de nosso Pai Celestial de alcançar a felicidade.”

No Livro de C.S. Lewis Cartas de um Diabo a Seu Aprendiz, o Tio Maldanado, instrui seu sobrinho Vermelindo, um demônio menos experiente, a como manter o mortal que está tentando se arrepender fora do caminho da retidão.

“Resta considerar como podemos recuperar esse desastre. O melhor é impedir que ele faça qualquer coisa. Enquanto ele não converter em ação, não importa o quanto ele pense sobre esse novo arrependimento. Deixe o pequeno bruto mergulhar nele… Deixe-o fazer qualquer coisa, exceto agir. Nenhuma quantia de piedade em sua imaginação e afetos nos prejudicará se pudermos mantê-la fora da vontade dele. Como um dos humanos disse, os hábitos ativos são fortalecidos pela repetição, mas os passivos são enfraquecidos. Quanto mais ele se permanece sem agir, menos ele será capaz de agir e, a longo prazo, ele será menos capaz de sentir.”

Pedro descreveu o tentador em uma metáfora impressionante:

“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.”

A influência do adversário não é nada comparada ao poder de Deus

Tenho pensando em como Pedro comparou Lúcifer a um leão. Um leão em um zoológico é perigo, mas somente se nos colocarmos dentro de sua jaula. Sem a nossa vontade, o poder do adversário é muito limitado.

Se estamos buscando um caminho de retidão, precisamos não somente estar sempre preocupados com a influência do adversário. Néfi explicou que ele “não tem poder sobre o coração do povo, porque vivem em retidão.”

Ele não tem poder sobre nós a menos que permitamos. O Apóstolo Tiago ensinou:

“Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Medo: Você está deixando Satanás controlar sua vida?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *