Em visita ao Brasil, Élder Stevenson fala sobre “vacinas espirituais”

A conversa sobre vacinação tem atraído muitas manchetes nas últimas semanas.

Mas já que as doenças espirituais também afligem pessoas em todo o mundo, as “vacinas espirituais” se mostram cada vez mais necessárias.

Essa foi uma mensagem que um apóstolo de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias enfatizou durante sua recente visita ao Brasil.

“O evangelho de Jesus Cristo serve como uma vacina para os males da sociedade”, disse o Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, ao Church News.

O Élder Stevenson e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, passaram nove dias com milhares de membros e missionários em várias reuniões no Brasil.

Eles passaram por São Paulo, Cuiabá, Juiz de Fora, Campinas, Goiânia, Brasília, Fortaleza e Rio de Janeiro.

O Élder Stevenson foi acompanhado pelo Élder Marcos A. Aidukaitis, o Élder W. Mark Bassett e o Élder Adilson de Paula Parrella – Setentas Autoridades Gerais e membros da Presidência da Área do Brasil.

Independentemente do local ou da reunião, o Élder e a irmã Stevenson incentivaram todos a viver e ensinar o evangelho no lar, adorar no templo sagrado, e ministrar uns aos outros.

Quatro conselhos:

Em suas reuniões com jovens adultos solteiros, o apóstolo dos santos dos últimos dias ofereceu quatro itens de conselho.

(1) Aproveite as bênçãos de se ter um bispo.

“Conheça seu bispo pelo nome – e certifique-se de que o bispo conheça você. Aproveite as bênçãos que vêm através de um bispo ”.

(2) Mantenha uma perspectiva do evangelho e (3) um equilíbrio espiritual.

Os jovens, disse ele, estão preocupados com sua educação, carreira, namoro, casamento, saúde física e emocional. Portanto, é essencial que eles mantenham um equilíbrio espiritual ao frequentar a igreja, tomar o sacramento, orar, ler as escrituras e ministrar aos outros.

“Eles precisam achar o equilíbrio adequado de qualquer coisa que esteja exigindo seu tempo e atenção que prejudique sua espiritualidade.”

(4) Nunca esqueça que o Salvador está pronto para ministrar.

“O Senhor está ciente de cada um dos Seus filhos e os ajudará em qualquer uma das suas provações, desafios e adversidades”, disse ele.

Outros conselhos

Em um devocional em Cuiabá para jovens e pais, o Élder Stevenson incentivou os jovens a se ficarem em frente ao espelho todas as manhãs e dizer: “Eu sou maravilhoso e incrível. Sou um filho (ou filha) de Deus.”

O apóstolo disse para os jovens não cair caia na armadilha de “comparar-se uns com os outros” e se preocupar em “conseguir curtidas” nas plataformas de mídia social.

Ele disse que a coisa mais importante é saber que o Senhor o ‘ama’ e não somente o ‘curte’.

Ouvir o conselho amoroso de um apóstolo foi uma bênção para muitos jovens, disse o Élder Bassett.

“Foi gratificante olhar nos olhos da juventude quando o Élder Stevenson lhes ensinou sobre sua natureza divina. Ao compartilhar histórias pessoais, escrituras e seu testemunho, você podia ver o coração dos jovens sendo tocados e mudados ”.

Uma visita histórica

No dia 24 de abril, o Élder Stevenson teve uma reunião com os missionários e uma reunião com os membros em Juiz de Fora. Essa data marcava o 60º aniversário da visita apostólica do Élder Spencer W. Kimball à cidade para organizar um ramo. Alguns meses depois, outro membro dos Doze, o Élder Harold B. Lee, também visitou a cidade e ministrou aos membros novos na cidade.

Desde essas duas visitas em 1959, nenhum outro apóstolo esteve em Juiz de Fora até a recente visita do Élder Stevenson. Ainda assim, o poder do ministério do Élder Kimball e do Élder Lee – seis décadas atrás – permanece indiscutível.

“De um único ramo, Juiz de Fora passou a ter uma estaca e uma missão – a Missão Brasil Juiz de Fora”, disse ele.

Uma cultura diversa

A rica cultura do Brasil possibilitou que o Élder Stevenson praticasse o seu japonês – uma língua que ele usou como missionário de tempo integral e como presidente de missão e área no Japão.

O Brasil e o Japão desfrutam de uma longa história de intercâmbio cultural e econômico. O Brasil tem a maior comunidade japonesa fora do Japão. Mais de 1,5 milhão de descendentes de japoneses chamam o Brasil de lar. Da mesma forma, os brasileiros representam um dos maiores grupos étnicos não asiáticos no Japão.

Essa cultura é refletida na comunidade santos dos últimos dias do Brasil. Muitos brasileiros têm servido missões ao Japão e vice-versa.

O Élder Stevenson presidiu um devocional para os ex-missionários que serviram no Japão e suas famílias no Centro de Estaca de São Paulo. Ele compartilhou seu testemunho e outras palavras em japonês, mas outras partes do encontro foram em Português e Inglês. Cerca de 150 pessoas estavam presentes.

Centenas de missionários – incluindo os missionários no Centro de Treinamento Missionário – também tiveram a oportunidade de aprender com os casal e outros líderes da Igreja.

O Élder Stevenson ficou surpreso com a diversidade encontrada na grupo dos missionários no CTM.

Além de missionários da América do Sul, Central e do Norte, havia também missionários da Europa, África, Ilhas do Pacífico – e até mesmo Dubai.

“Foi incrível”, disse ele.

O sétimo templo no Brasil

O último fim de semana de sua visita no Brasil incluiu uma parada na casa aberta para o Templo de Fortaleza Brasil, que em breve será dedicado.

O Élder Stevenson e o Élder Aidukaitis realizaram uma visita ao templo junto com o Presidente Paulo Grahl, líderes governamentais e repórteres locais, entre eles: o prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio, e o vice-prefeito Moroni Torgan, que é membro da Igreja e Setenta de Área.

“Tivemos uma experiência espetacular no templo e pudemos discutir a importância das famílias eternas e as ordenanças de salvação e exaltação na sala de selamento.”

O Élder Stevenson foi elevado pelo entusiasmo pelo novo templo – e lembrou-se da proteção encontrada nas estacas de Sião, que prepara as pessoas para as bênçãos do templo.

“Há 17 estacas em Fortaleza – é o modelo que o Senhor usa”, disse ele. “Primeiro, nos esforçamos para construir as estacas de Sião em uma área. Então, elas continuam a crescer até que construímos um templo no meio delas ‘para que a reunião na terra de Sião e em suas estacas seja uma defesa e um refúgio contra a tempestade e contra a ira, quando for derramada, sem mistura, sobre toda a Terra.’”( Doutrina e Convênios 115: 6). ).

“Nós temos o antídoto.”

Nas reuniões locais ele falou sobre como um lar centralizado no evangelho e apoiado pela igreja oferece maior proteção. O lar continua sendo o lugar mais confiável para preparar crianças e jovens para a conversão, o serviço missionário e o serviço no templo.

Um futuro promissor

Assim como os membros pioneiros em Juiz de Fora nunca esqueceram das visitas do Élder Kimball e do Élder Lee ao Brasil há 60 anos, uma nova geração de santos dos últimos dias sempre se lembrará da visita de um apóstolo à sua terra natal.

“O Élder Stevenson deve ter apertado quase 3.000 mãos juntamente de um sorriso, amor e compaixão dados por Deus”, disse o Elder Aidukaitis. “Esse aperto de mão pode ter sido a melhor coisa que ele poderia ter feito para muitos que estavam lá. O semblante de quem teve essa oportunidade disse tudo.”

Esta é uma tradução do artigo escrito originalmente por Jason Swensen e foi publicado no site thechurchnews.com com o título “Elder Stevenson prescribes ‘vaccine’ for spiritual suffering during Brazil visit”.

Um comentário em “Em visita ao Brasil, Élder Stevenson fala sobre “vacinas espirituais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *