Sobre ficar zangado com Deus

Há algo em que eu estive pensando muito ultimamente, e embora não seja doutrina (por isso não saia por aí dizendo que é!), cheguei a uma conclusão: é bom ficar zangado com Deus. Quer dizer, mais ou menos.

Acho que às vezes, quando estamos passando por uma provação, pensamos: “Deve ter algo que eu deveria aprender, e é por isso que Deus está me permitindo passar por isso”. Certamente, há coisas para aprender em cada provação, mas eu não acho que Deus está sentado no céu pensando algo como: “Francamente! Quando você finalmente vai aprender esta lição para que Eu possa retirar essa provação de você?” Creio que Ele permite que certas coisas aconteçam por razões além de nossa compreensão — e algumas coisas porque são apenas uma parte da mortalidade. Nossas provações não significam que estamos sendo castigados ou forçados a aprender uma lição — elas são, às vezes, apenas os infelizes efeitos colaterais dessa vida mortal.

Mas, como Paulo, quando nossas provações não estão sendo retiradas de nós, podemos reconhecer que elas são uma oportunidade de aproximarmo-nos do Salvador. Podemos confiar Nele para nos fortalecer quando nos sentimos fracos e nos guiar a outros em situações semelhantes nas quais podemos consolar e ministrar.

Um ano ou dois atrás, depois de uma dor de estômago terrível, escrevi uma publicação  no meu blogue com o único propósito de desabafar. Nele, eu escrevi sobre coisas com as quais eu estava zangado e, por outro lado, coisas pelas quais eu estava grato. No final, eu expressei algo que eu acredito ser uma lição aprendida pelo Espírito.

“Estou zangado com Deus. Estou zangado por Ele não tirar essa dor. Eu estou zangado porque eu sei que se Ele quisesse, Ele poderia fazer isso… 

Fico feliz que Deus tenha me dado tantas bênçãos. Fico feliz em acreditar em um Deus misericordioso. Fico feliz que esta vida não seja o fim, que um dia vou viver sem dor. Eu estou contente que Ele me consola, e que quando eu oro para a dor para diminuir, Ele me fortalece para ser capaz de suportá-la…

Estou feliz por ter recebido tanas bênçãos na vida de minha maneira que me fizeram saber que eu não sou apenas um covarde; que Deus entende que eu não posso ser uma pessoa normal de muitas  maneiras. Sou grato por empregadores maravilhosos que me deixaram trabalhar em casa, pelas oportunidades que surgiram aparentemente do nada. Fico feliz por não acreditar que essas coisas foram apenas coincidências.

Fico contente por viver neste mundo maravilhoso, bonito, assustador e terrível. Percebi que na vida não são tudo flores; que muito do tempo é espinhos, mas eu estou contente por ter sido cutucado tantas vezes que agora eu sei exatamente como ajudar outras pessoas que estão sangrando.

Fico feliz em saber que não há problema em ficar bravo. Estou contente que, embora eu tire férias na bravolândia de vez em quando, provavelmente mais frequentemente do que eu deveria, eu sou sábio o suficiente para não viver lá.”

Então lembre-se, é bom ficar zangado. Não há problema em deixar a frustração e a raiva fazerem a você uma breve visita, porque isso é apenas parte de ser humano.

Só não deixe essa parte se instalar em você.

Fonte: ThirdHour

Relacionado:

3 coisas para se lembrar quando o amor de Deus parece distante

Um comentário em “Sobre ficar zangado com Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *