Família de refugiados venezuelanos desembarca em Governador Valadares

Os venezuelanos chegaram na cidade no mês de setembro; família está sendo acolhida por um projeto da Igreja de Jesus Cristos dos Santos dos Últimos Dias.

A família venezuelana que escolheu Minas Gerais como refúgio está em Governador Valadares, no Leste do Estado. Pedro José Maitan, de 29 anos, a esposa Arianne Desiree, de 28, e a filha Scarlet Nazareth, 10, deixaram a Venezuela e chegaram na cidade no dia 18 de setembro; mais de quatro mil venezuelanos vieram para o Brasil em busca de reconstruir a vida de forma digna, por causa da crise econômica que afeta aquele país.

Mas até chegar ao território brasileiro, a família disse que precisou lidar com o dilema de deixar os parentes e os pais na Venezuela. O pai de Pedro queria que ele ficasse no país natal, por outro lado, a mãe apoiava o filho independente da escolha que tomasse. “Foi algo difícil mas aqui estamos”, disse Pedro.

Para Arianne, a oportunidade de criar a filha da melhor forma possível foi o motivo que a trouxe para o Brasil. “Nós queríamos um futuro para dar a nossa filha e, lamentavelmente, lá não poderíamos dar, a situação estava muito difícil. Mas nós vamos dar a nossa filha esse futuro que ela merece, como saúde, educação, crescer e se desenvolver como uma criança normal.”

A família chegou ao Brasil pela cidade de Pacaraima, em Roraima. Com a ajuda do projeto da Igreja de Jesus Cristos dos Santos dos Últimos Dias, ‘Mãos que ajudam’, os três venezuelanos foram acolhidos pela sede da Igreja em Governador Valadares, onde estão recebendo suporte para essa nova realidade.

Segundo o bispo Bruno Magalhães Lima, a Igreja conseguiu alugar uma casa para a família e a intenção é que o casal seja direcionado ao mercado de trabalho. “Reunimos vários membros da igreja e conseguímos móveis, fogão, geladeira, alimentos, camas, e eles já têm a casinha deles. E através de uma programa que a igreja tem, vamos realocar eles novamente no mercado de trabalho.”

Arianne tem trabalhado como manicure e Pedro como ajudante de pedreiro. Mas a intenção do programa Mãos que Ajudam é capacitar o casal venezuelano para que tenha uma estabilidade e autossuficiência profissional. A filha Scarlet já foi matriculada em uma escola da cidade.

Fonte:
https://g1.globo.com/mg/vales-mg/noticia/2018/10/01/primeira-familia-de-refugiados-venezuelanos-em-minas-gerais-desembarca-em-governador-valadares.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *