Os mórmons não são os donos da verdade (apesar de parecer que são)

A verdade SÓ pode ser encontrada na Igreja Mórmon.

— Dito nunca, por ninguém

Sim, acreditamos que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fornece acesso à plenitude do evangelho de Cristo e a inúmeras verdades que vêm junto com ele. Mas os mórmons não são os donos da verdade.

Se os membros da Igreja consideram aqueles de outras religiões completamente ignorantes de todas as verdades, francamente, estamos mal. Se os não-mórmons supõem que pretendemos ser os únicos portadores da verdade no mundo, estão errados.

A grande apostasia e o padrão da verdade

verdade

O padrão de verdade e apostasia deve ser familiar para a maioria dos cristãos (inclusive os mórmons), pois aparece muito na Bíblia. Deus chama um profeta (Adão, Enoque, Noé, Abraão, Moisés, etc.) para orientar e instruir as massas. Com o passar do tempo, as pessoas rejeitam/matam/ignoram/geralmente não gostam  dos profetas e caem em um estado de iniquidade.

A autoridade dada por Deus que o profeta tem para pregar o evangelho e estabelecer a Igreja de Cristo (que chamamos de sacerdócio) é rejeitada pelas massas e, por conseguinte, retirada da terra. Sem esse emissário profético, com o passar do tempo muitas (mas não todas) as doutrinas do evangelho tornam-se incompreendidas, mal interpretadas, distorcidas e perdidas.

Quando as pessoas estão preparadas mais uma vez para que as verdades sejam restauradas, Deus chama e envia um outro profeta que mais uma vez começa a pregar o básico (ou seja, arrependimento) e restaura as doutrinas que foram perdidas.

No jargão SUD, “A grande apostasia” se refere ao afastamento da verdade que ocorreu após a morte de Jesus Cristo, que, além de ser nosso Salvador e o próprio Filho de Deus, também foi um profeta.

Fragmentos da verdade

verdade

Imagine a doutrina e os ensinamentos de Cristo como se fosse um espelho. Quando Cristo e Seus apóstolos foram mortos por aqueles que rejeitaram Seus ensinamentos, o espelho caiu da parede e quebrou em milhares de pedaços (aquela coisa de apostasia sobre a qual estávamos falando).

Os crentes fiéis que sobraram se esforçavam para salvar o máximo de peças possível — verdadeiramente um esforço nobre. Mas, outra vez, a autoridade do sacerdócio e orientação profética foram perdidas. Indivíduos bem-intencionados fizeram o melhor que podiam com as verdades que restaram. Um grupo de fieis com crenças semelhantes juntou seus fragmentos de verdade e estabeleceu uma igreja. Milhares de outros grupos fizeram a mesma coisa com a verdade a que tinham acesso. Uma infinidade de igrejas e sistemas de crenças surgiu, preparando o cenário para o nosso dia.

Seguindo o padrão dos profetas descrito anteriormente, os mórmons acreditam que, no início de 1800, um garoto chamado Joseph Smith foi chamado para ser o próximo profeta restaurador depois da grande apostasia que aconteceu depois da a morte de Cristo. Por meio de Joseph, Cristo restaurou a autoridade do sacerdócio e a plenitude de Seu evangelho — o espelho inteiro.

Cada fragmento é importante

verdade

 

Certamente parece presunçoso da nossa parte afirmar que temos todo o “espelho da verdade”, mas o objetivo deste artigo é lembrar tanto mórmons como não-mórmons que embora acreditamos ter acesso ao espelho todo, isso não deve refutar a importância e a verdade a que todo mundo tem acesso.

Uma verdade do evangelho é uma verdade do evangelho, não importa de onde venha.

Por exemplo, a marca do cristianismo é uma crença firme em Jesus Cristo e em Seu papel como o Redentor. ISSO É UM PEDAÇO ENORME DO ESPELHO. Combine isso com a crença de que Deus é nosso Pai Celestial, amar o nosso próximo, a Bíblia Sagrada, os dons do Espírito; são muitas verdades. E o cristianismo também não tem o monopólio sobre a verdade. Eu diria que todas as religiões do mundo têm fragmentos de verdade.

Em 2006 o Presidente James E. Faust afirmou que “os grandes líderes religiosos do mundo, como Maomé, Confúcio e os Reformadores, bem como filósofos, incluindo Sócrates, Platão e outros, receberam uma porção da luz de Deus”. Verdade!

O propósito do trabalho missionário

verdade

Vamos apreciar a verdade de todos os ângulos. À medida que nós, mórmons, compartilhamos nossas crenças com os outros, lembremo-nos daquele espelho. Quase todos já possuem verdades preciosas. Nosso trabalho é mostrar-lhes como esses fragmentos se encaixam com o resto do espelho — como as peças do quebra-cabeça que eles têm se encaixam com as nossas. E mesmo se uma certa crença estiver claramente errada, aposto que ainda tem como base um princípio de verdade. Talvez esse fragmento só precise de um pouco limpa-vidros.

Nosso papel não é destruir o espelho deles. É reconhecer suas verdades, polir os arranhões e reorientar um pouco, se necessário. Como o Presidente Gordon B. Hinckley convidou: “tragam com vocês tudo o que tiverem de bom e as verdades que lhes foram transmitidas por qualquer fonte; venham e vejamos se conseguiremos acrescentar-lhes algo”.

Compartilhe suas ideias conosco nos comentários!

 

Fonte: Mormonhub

Relacionado:

Verdades do evangelho que Dumbledore da série Harry Potter ensinou

 

 

The post Os mórmons não são os donos da verdade (apesar de parecer que são) appeared first on Mormonsud.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *