Presidente Nelson encontra sobreviventes do tiroteio em mesquita na Nova Zelândia e leva doação

“O covarde queria dividir-nos, mas ele só nos uniu ainda mais”, disse Abdul Aziz, um dos sobreviventes do tiroteio que aconteceu em uma mesquita da Nova Zelândia.

“Quisera que todo o mundo estivesse unido como nós estamos aqui agora. No final das contas, somos todos irmãos e irmãs. Somos todos filhos e filhas de Adão e Eva. Somos iguais.”

O Presidente Russell M. Nelson reuniu-se com aqueles que foram impactados pelo tiroteio de 15 de março, fazendo presenteando-os com um cheque de USD 100.000,00 da Igreja para ajudar suas comunidades a avançarem. Sua mensagem durante o encontro foi clara. “Somos irmãos. Nós somos irmãos”, disse ele.

“Todos nós, os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em todo o mundo ficamos com o coração partido quando ouvimos falar dos ataques mortais contra adoradores inocentes nas mesquitas de Al Noor e Linwood em Christchurch no dia 15 de março. Nossas orações, nossos amor e apoio estão com vocês e todos os outros afetados por essas tragédias sem sentido”, disse o Presidente Nelson, acrescentando: “pensando no futuro, se vocês precisarem de voluntários para ajudar no trabalho de reparação e renovação que será financiado por essas doações, gostaríamos ter a honra de dar uma mão amiga”.

O Presidente Russell M. Nelson, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, encontra-se com vítima da Mesquita de Linwood, Ahmed Jahangir e alguns imames em Auckland, Nova Zelândia, no dia 21 de maio de 2019. Jahangir está se recuperando dos ferimentos que sofreu no ataque. Dois imames representavam as mesquitas de Al Noor e Linwood, onde adoradores inocentes foram baleados no dia 15 de março em Christchurch.

Imam Shagaf Khan falou o seguinte sobre a visita do Presidente Nelson àquela comunidade:

“Quando alguém vem do exterior e mostra o seu amor por nós, é realmente comovente. Somos capazes de sentir seu sacrifício”.

Fonte: LDS Living

Relacionado:

Declaração de apoio às comunidades muçulmanas e todos os outros afetados pelos tiroteios em Christchurch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *