Primeira Presidência e Apóstolos com mais de 70 anos recebem vacina contra COVID-19

Oito líderes seniores de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias receberam a primeira dose da vacina contra a COVID-19 na manhã desta terça-feira (19) em Salt Lake City. Esses líderes se qualificam para a vacina em Utah porque têm mais de 70 anos de idade. Os profissionais de saúde, socorristas e outras pessoas de alta prioridade no estado tiveram a oportunidade de ser vacinados nas últimas semanas.

Todos os três membros da Primeira Presidência, cinco membros do Quórum dos Doze Apóstolos e a maioria de seus cônjuges receberam a vacina: o Presidente Russell M. Nelson e sua esposa, Wendy; o Presidente Dallin H. Oaks e sua esposa, Kristen; o Presidente Henry B. Eyring; o Presidente M. Russell Ballard, o Élder Jeffrey R. Holland e sua esposa, Patricia; o Élder Dieter F. Uchtdorf e sua esposa, Harriet; o Élder Quentin L. Cook e sua esposa, Mary; e o Élder D. Todd Christofferson e sua esposa, Kathy.

Declaração da Primeira Presidência sobre a vacinação

A Primeira Presidência divulgou a seguinte declaração nesta terça-feira (19) sobre a importância da vacinação e imunização contra doenças evitáveis:

“Em palavras e ações, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem apoiado a vacinação por gerações. Como um componente proeminente de nossos esforços humanitários, a Igreja financiou, distribuiu e administrou vacinas que salvaram vidas em todo o mundo. As vacinas ajudaram a conter ou eliminar doenças transmissíveis devastadoras, como pólio, difteria, tétano, varíola e sarampo. Vacinas administradas por profissionais médicos competentes protegem a saúde e preservam a vida.

À medida que esta pandemia se espalhou pelo mundo, a Igreja cancelou imediatamente reuniões, fechou templos e restringiu outras atividades por causa do nosso desejo de sermos bons cidadãos globais e fazer a nossa parte para combater a pandemia.

Agora, vacinas contra a COVID-19, que são o fruto do trabalho, oração e jejum de muitos, estão sendo desenvolvidas, e algumas estão sendo fornecidas. De acordo com as diretrizes emitidas pelos funcionários de saúde locais, as vacinações foram primeiramente oferecidas aos profissionais de saúde, aos socorristas e a outros destinatários de alta prioridade. Devido à sua idade, os líderes seniores da Igreja com mais de 70 anos agora dão boas vindas a oportunidade de serem vacinados.

À medida que oportunidades apropriadas se tornam disponíveis, a Igreja exorta seus membros, funcionários e missionários a serem bons cidadãos globais e ajudar a combater a pandemia, protegendo-se a si mesmos e aos outros através da imunização. Os indivíduos são responsáveis por tomar as suas próprias decisões sobre a vacinação. Ao fazer essa escolha, recomendamos que, sempre que possível, se aconselhem um profissional médico competente sobre suas circunstâncias e necessidades pessoais”.

O apoio de longa data da Igreja à imunização

A Igreja de Jesus Cristo reconheceu a importância da vacinação e da imunização durante décadas. “Exortamos os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias a proteger seus próprios filhos por meio da vacinação”, disse a Primeira Presidência em 1978.

Desde 2002, por meio de sua organização humanitária Serviços de Caridade Santos dos Últimos Dias, a Igreja tem ajudado a financiar 168 projetos em 46 países para abençoar cerca de 116.819.870 pessoas. Os Serviços de Caridade Santos dos Últimos Dias dão apoio financeiro a proeminentes parceiros de imunização global para obter e entregar vacinas, monitorar doenças, responder a surtos, treinar profissionais de saúde, e desenvolver programas de eliminação e erradicação. Os resultados incluem mais crianças vacinadas e menos vidas perdidas para o sarampo, rubéola, tétano materno e neonatal, pólio, diarreia, pneumonia e febre amarela.

Histórias de sucesso notáveis incluem a eliminação de doenças em toda a África. Em 2019, os Serviços de Caridade Santos dos Últimos Dias e parceiros como a UNICEF USA e a Kiwanis International ajudaram a eliminar o tétano materno e neonatal no Chade e na República Democrática do Congo. No final do ano passado, graças à UNICEF e a parceiros como os Serviços de Caridade Santos dos Últimos Dias, a África erradicou o poliovírus selvagem. E em resposta a uma epidemia de sarampo no Chade em 2019, A UNICEF e seus parceiros ajudaram a vacinar 653.535 crianças entre as idades de seis meses e nove anos em um período de uma semana.

“Sou grato por chegar a nossa vez de receber essa vacina”, disse o Presidente Oaks, na terça-feira de manhã. “Estamos muito esperançosos de que a vacinação geral da população nos ajude a superar esta terrível pandemia. É esperançoso, como há luz no fim do túnel. Há alívio e gratidão envolvidos para aqueles que inventaram a vacina e para aqueles que fizeram com que ela estivesse disponível para as pessoas em um sistema sensato de prioridades.”

Imagens e Fonte: Newsroom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *