2 experiências na Guerra da Coreia vividas pelo Presidente Nelson

Quando os Estados Unidos se envolveram na Guerra da Coreia, o Gabinete Geral do Cirurgião decidiu aproveitar ao máximo a obrigação militar do Dr. Nelson, selecionando-o para formar uma unidade de pesquisa cirúrgica no Centro Médico Do Exército de Walter Reed.

Depois de se afastar de sua família poucos dias após o nascimento de seu segundo filho, os planos mudaram para o Primeiro-Tenente Nelson, que foi transferido para o serviço ativo. Durante o verão de 1951, o Presidente Nelson visitou a Coreia do Sul, incluindo a frente de batalha, visitando unidades cirúrgicas-hospitalares móveis do exército e sugerindo melhorias.

Durante esse tempo, o Presidente Nelson ficou cara-a-cara com o perigo que ameaça vidas, o medo paralisante, dor, morte, desgosto, doença, e aqueles que perderam membros, perderam sua inocência e perderam a esperança. Sem dúvida que a bondade e compaixão do Presidente Nelson ajudaram a curar e a elevar aqueles que sofreram em condições tão terríveis, mesmo quando a sua própria empatia cresceu.

Em uma ocasião, o Presidente Nelson contou a experiência de conhecer um jovem soldado Santo dos Últimos Dias em um hospital—uma pessoa que o ajudou a entender a verdadeira amplitude da fé:

“Quando cheguei a uma unidade cirúrgica móvel do exército, um dos médicos que sabia que eu era um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias me perguntou se eu estaria disposto a ver um menino Mórmon que tinha sido atingido na coluna por um míssil. Ele estava paraplégico; nunca mais usaria as pernas dele e assim que eu fui apresentado a este jovem, ele podia ver que eu não sabia o que dizer. Cumprimentei-o e expressei condolências e amor da melhor maneira que pude e ele disse: “Oh, não se preocupe comigo, Irmão Nelson. Eu sei porque estou aqui. E não uso as pernas para conseguir a minha salvação. Faço isso com a minha fé.’

“Aprendi muito com aquele jovem. Ele era menor de idade. Ele não tinha idade suficiente para ser um elder, mas lá estava ele, com grande fé, enfrentando um futuro de incapacidade ao usar suas pernas. Muitas vezes me pergunto o que aconteceu com aquele jovem maravilhoso que me ensinou tanto sobre fé “(Santos em guerra: Coreia e Vietnã, páginas 120-121);

O presidente Nelson teve também a oportunidade de compartilhar o evangelho durante a Guerra da Coreia. Em 1951, o Presidente Nelson trabalhou junto com uma enfermeira chamada Jane S. Poole, no Centro Médico do Exército Walter Reed, em Washington, D.C. Durante esta época, Poole notou que havia algo que fazia com que o Presidente Nelson fosse diferente dos outros cirurgiões com quem trabalhou durante a guerra. Curiosa, Poole um dia perguntou ao Presidente Nelson no que os santos dos últimos dias acreditam e começou a aprender sobre o evangelho.

“Ela era como uma esponja que absorvia toda a água’, lembrou Russell. “Ela queria saber mais e mais, então eu gradualmente fui falando da doutrina e dos conceitos da Igreja e sugeri materiais de leitura para ela. Não demorou muito para ela se converter e eu tive o privilégio de batizá-la. Jane era uma mãe divorciada com um filho joven, George, que mais tarde serviu uma missão na Austrália. Jane se manteve fiel, escrevendo periodicamente bilhetes de agradecimento à família Nelson durante os cinqüenta anos seguintes (Spencer J. Condie Russell M. Nelson: Pai, Cirurgião, Apóstolo).

Fonte: LDS Living

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *