Élder Gong aprende lição de aprendizagem em momento inesperado

A irmã Susan Gong olhando para o marido, o Élder Gerrit W. Gong do Quórum dos Doze Apóstolos, antes do discurso dele em um devocional no campus da BYU em 16 de outubro de 2018. Fotografia: Fotografia de Scott G. Winterton, Deseret News

 

Durante um voo recente de Salt Lake City à cidade de Nova York, foi pedido ao Elder Gerrit W. Gong do Quórum dos Doze Apóstolos que trocasse de assento na última hora.

“Naquele caso, talvez não sem propósito”, disse ele durante um devocional do campus da Universidade Brigham Young em 16 de outubro.

Quando ele perguntou a sua nova companheira de assento se ela estava viajando para Nova Iorque ou para o destino final do avião, que era Milão, na Itália, a conversa começou a deslanchar.

A mulher tinha passado a vida como tradutora de italiano-inglês e os dois começaram a falar sobre cultura e arte italiana.

“Quando ela me perguntou sobre Michelangelo, lembrei-me de uma aula de humanas na BYU com o professor Todd Britsch”, o Élder Gong disse. “Eu era capaz de dizer que na estátua de Michelangelo Pieta, a peça única de mármore de Carrara parecia viva e sem vida ao mesmo tempo.”

O Élder Gerrit W. Gong do Quórum dos Doze Apóstolos acena para alguém na multidão antes falar em um devocional na BYU 16 de outubro de 2018. Fotografia: Fotografia de Scott G. Winterton, Deseret News

 

A mulher sentada ao lado dele concordou e eles começaram a falar sobre a Capela Sistina — depois sobre Dante e Shakespeare.

“Então algo inesperado aconteceu”, ele disse. “Aparentemente do nada, aquela boa mulher calmamente perguntou: ‘você quer saber como meu filho morreu, não é?’”

Embora os dois estivessem falando sobre literatura e arte italiana, ela sentiu que o Élder Gong estava ouvindo com o coração.

“Ela sentiu que poderia dizer: ‘Meu filho cometeu suicídio. Eu vou para a Itália para cuidar dos preparativos’. Ela acrescentou: ‘Sinto que você é um homem de Deus. Ele colocou você aqui hoje porque eu não tenho ninguém com quem falar sobre estas coisas’”.

Pelo resto do voo, o Élder Gong e a mulher falaram com ternura sobre o plano de felicidade estabelecida por Deus e o evangelho restaurado de Jesus Cristo, que permite que famílias fiquem juntas para sempre.

“Prestei testemunho das ordenanças e dos convênios feitos na Santa Casa do Senhor e a convidei para visitar o templo de Manhattan Nova Iorque ou, um dia, o templo de Roma Itália.”

Ouvintes no devocional no campus da BYU em 16 de outubro de 2018 com o Élder Gerrit W. Gong do Quórum dos Doze Apóstolos. Fotografia: Fotografia de Scott G. Winterton, Deseret News

Convite

O apóstolo convidou os estudantes a participar de um experimento de pensamento, no qual eles deveriam imaginarem-se 22 anos no futuro, em 2040. Ele então compartilhou quatro lições que os alunos começaram a aprender em 2018 enquanto estavam estudando.

Lição 1: Aprender a aprender pelo Espírito

“Como estudantes da BYU em 2018, já estamos já era da aceleração”, ele disse.

O aumento de capacidade de armazenamento, o poder e velocidade da computação com dispositivos móveis, conectividade de banda larga e a computação em nuvem conectam tudo, o líder de Igreja ensinou. As mudanças tecnológicas mudaram a produção econômica de base e em forma de informação e inovação.

Mesmo assim, no meio de mudanças tecnológicas e globais aceleradas, aprender a aprender pelo Espírito acontece por meio de coisas pequenas e simples.

“Começamos frequentando as aulas, escolhendo amigos e ambientes que incentivam o nosso melhor aprendizado e aprendendo fatos, habilidades e atitudes”, ele disse.

Lição 2: Fazer as melhores escolhas

Como estudantes em 2018, ‘tornar-se adulto’ já foi desafiador — mas era apenas um começo para os desafios e alegrias que estamos sustentando como malabarismo em 2040”, ele disse.

Tempo, energia e oportunidades limitados exigem decisões sábias entre escolhas boas, melhores e excelentes. 

Lição 3: Manter uma perspectiva global

“Em 2040, viajamos a trabalho, para adquirir informação e para embarcar em uma aventura a todos os países e continentes”, ele disse. “Algumas interações imersivas com o mundo são feitas pessoalmente, algumas em realidade virtual ou aumentada. Em qualquer caso, somos gratos pelo fato de a BYU ter nos incentivado em 2018 a ver o mundo como o nosso campus, onde podemos contribuir e servir.”

Lição 4: Achar as respostas certas

“Em 2018 na BYU sabemos que as informações são passadas quase que em tempo real e os fatos, as informações e o conhecimento representam um tipo de hierarquia de valor”, o Élder Gong disse.

Devido a isso, existem modas e modismos e tendências intelectuais.

O impacto

Ao seguir essas quatro lições do futuro agora, os indivíduos são capazes de se tornar estudantes de “fé, intelecto e caráter, que têm as habilidades e o desejo de continuar aprendendo e servir aos outros ao longo da vida”.

Élder Gerrit W. Gong do Quórum dos Doze Apóstolos fala com alguns estudantes no campus da BYU no devocional do dia 16 de outubro de 2018. Fotografia: Fotografia de Scott G. Winterton, Deseret News

Fonte: Church News

Relacionado:

Élder Gong fala sobre os espelhos dos templos mórmons

The post Élder Gong aprende lição de aprendizagem em momento inesperado appeared first on maisfe.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *