O que fazer quando a felicidade parece tão distante?

“Se você empilhar amanhãs em quantidade, descobrirá que colecionou muitos ontens vazios”. (Meredith Willson e Franklin Lacey, The Music Man, 1957.)

Uma famosa frase atribuída a Ghandi declara:

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”

Com que frequência nos damos conta dessa preciosa verdade?

Em seu discurso “Remorsos e Decisões”, o Elder Utchdorf disse:

“Muito frequentemente temos a ilusão de que há algo que está quase a nosso alcance e que nos traria felicidade — uma melhor situação familiar, uma melhor condição financeira ou o fim de uma provação difícil.

Quanto mais velhos ficamos, mais olhamos para trás e nos damos conta de que as circunstâncias externas realmente não importam nem determinam nossa felicidade.

Nós é que importamos. Nós determinamos nossa felicidade.

Vocês e eu, no final das contas, é que estamos encarregados de nossa própria felicidade.”

Conseguem compreender que a felicidade pode ser encontrada aqui e agora?

Não devemos esperar até que cheguemos a um ponto futuro para sermos felizes, ou para descobrir que a felicidade já estava ao nosso alcance — o tempo todo!

A vida não foi feita apenas para ser apreciada retrospectivamente. “Este é o dia que fez o Senhor”, escreveu o salmista. “Regozijemo-nos, e alegremo-nos nele” (Salmos 118:24).

Nosso amado profeta, presidente Monson também falou sobre a felicidade que acontece a cada dia de nossas vidas. Ele disse:

“Esta é nossa única chance na vida mortal — aqui e agora. Quanto mais vivemos, maior é nossa compreensão de que ela é breve. As oportunidades chegam e depois se vão. Creio que, entre as maiores lições que devemos aprender nesta breve jornada na Terra, estão as lições que nos ajudam a distinguir o que é importante daquilo que não é. Peço a vocês que não deixem as coisas mais importantes passarem por vocês, enquanto planejam um futuro ilusório e não existente, enquanto vocês têm todo o tempo do mundo para fazer o que quiserem. Em vez disso, procurem ter alegria na jornada — agora.”

Façamos uma breve reflexão sobre como nós temos visto a felicidade: estamos sendo felizes agora ou estamos postergando nossa felicidade para um amanhã que sequer sabemos se existirá?

Finalizamos este artigo com a advertência do antigo filósofo romano Horácio:

“Seja qual for o momento com que Deus lhe tenha abençoado, aceite-o com gratidão. Não adie suas alegrias de ano para ano, para que, onde quer que tenha estado, você possa dizer que viveu alegremente”.

Relacionado:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *