Os três frutos da Expiação de Jesus Cristo segundo um apóstolo

O Élder D. Todd Christofferson, que é membro do Quórum dos Doze Apóstolos, deu um discurso na Universidade Brigham Young em 26 de março de 2005 e falou sobre três frutos da Expiação de Jesus Cristo.

Ele introduziu o assunto dizendo:

“Sinto-me honrado por poder ter esta oportunidade de compartilhar alguns pensamentos sobre a Expiação e Ressurreição de Jesus Cristo. Tenho lutado, como muitos de vocês, com uma mente limitada a fim de compreender o infinito sacrifício do Salvador. Não pretendo ser capaz de ir às profundezas do assunto, mas espero poder oferecer uma abordagem ou duas que possam nos ser úteis e de encorajamento, conforme refletimos novamente sobre os grandes eventos daqueles poucos dias que fizeram toda a diferença em nossa existência.”

A Expiação de Jesus Cristo é o sacrifício infinito e eterno que Ele fez por nós, no final de seu ministério mortal – e inclui seu sofrimento no Jardim do Getsêmani, na Cruz do Calvário e sua Ressurreição Gloriosa. Falando dos efeitos da Expiação, o Élder Christofferson ensinou:

jesus cristo

“Eu presto meu testemunho dos frutos da grande Expiação. Para mim, eles vêm diante de três títulos:

Perdão. O primeiro é o perdão, ou como algumas vezes dizemos, justificação. “E acontecerá que aquele que se arrepender e for batizado em meu nome, será satisfeito; e se perseverar até o fim, eis que eu o terei por inocente perante meu Pai no dia em que eu me levantar para julgar o mundo” (3 Néfi 27:16).

“Eis que vos digo que quem tenha ouvido as palavras dos profetas, sim, de todos os santos profetas que profetizaram sobre a vinda do Senhor, digo-vos que todos aqueles que tenham escutado suas palavras e acreditado que o Senhor redimiria seu povo e hajam esperado ansiosamente pelo dia da remissão de seus pecados, eu vos digo que estes são a sua semente, . . . os herdeiros do reino de Deus” (Mosias 15:11).

E este testemunho da seção 20: “E sabemos que a justificação pela graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é justa e verdadeira” (D&C 20:30).

Santificação. Um segundo fruto é a limpeza ou, como algumas vezes dizemos, a santificação que provém de Sua graça: “E nada que seja imundo pode entrar em seu reino; portanto nada entra em seu descanso, a não ser aqueles que tenham lavado suas vestes em meu sangue, por causa de sua fé e do arrependimento de todos os seus pecados e de sua fidelidade até o fim. Agora, este é o mandamento: Arrependei-vos todos vós, confins da Terra; vinde a mim e sede batizados em meu nome, a fim de que sejais santificados, recebendo o Espírito Santo, para comparecerdes sem mancha perante mim no último dia” (3 Néfi 27:19-20).

Em Morôni, lemos: “E novamente, se pela graça de Deus fordes perfeitos em Cristo e não negardes o seu poder, então sereis santificados em Cristo pela graça de Deus, por meio do derramamento do sangue de Cristo, que está no convênio do Pai para a remissão de vossos pecados, a fim de que vos torneis santos, sem mácula” (Morôni 10:33).

E novamente, na seção 20, um testemunho: “E sabemos também que a santificação pela graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é justa e verdadeira, para todos os que amam e servem a Deus com todo o seu poder, mente e força” (D&C 20:31).

Ressurreição. O terceiro glorioso fruto da Expiação é a Ressurreição por si mesma, a qual advém por meio daquele que Ele expiou pela transgressão de Adão. “E nosso pai Adão falou ao Senhor e disse: Por que é que os homens devem arrepender-se e ser batizados na água? E o Senhor disse a Adão: Eis que te perdoei tua transgressão no Jardim do Éden. Aí se começou a dizer entre o povo que o Filho de Deus expiara o pecado original, de modo que os pecados dos pais não podem recair sobre a cabeça dos filhos, pois estes são limpos desde a fundação do mundo” (Moisés 6:53).

Na seção 88, aprendemos: “Ora, em verdade vos digo que por meio da redenção que foi feita por vós realiza-se a ressurreição dos mortos. E o espírito e o corpo são a alma do homem. E a ressurreição dos mortos é a redenção da alma” (D&C 88:14-16).

Com relação à Ressurreição, lemos: “Aqueles que forem de um espírito celestial receberão o mesmo corpo que era um corpo natural; sim, recebereis vosso corpo e vossa glória será a glória pela qual vosso corpo é vivificado. Vós, que fordes vivificados por uma porção da glória celestial, recebereis sua plenitude” (D&C 88:28–29).”

O Élder Christofferson prestou testemunho destas verdades em mais de uma ocasião. Como apóstolo é sua responsabilidade erguer a voz para testificar de Cristo. Ele disse:

“Como discípulos de Jesus Cristo, devemos fazer tudo a nosso alcance para redimir as pessoas dos sofrimentos e dos fardos. Mesmo assim, nosso maior serviço de redenção será o de levá-las a Cristo. Sem Sua Redenção da morte e do pecado, teríamos apenas um evangelho de justiça social. Isso pode prover algum auxílio e reconciliação no presente, mas não tem o poder de invocar a justiça perfeita e a infinita misericórdia do céu. A redenção final está em Jesus Cristo, e somente Nele. Com humildade e gratidão eu O reconheço como o Redentor, em nome de Jesus Cristo. Amém.” (“Redenção“, Conferência Geral abril de 2013).

Relacionado: 

Como entender a doutrina e o processo do arrependimento

The post Os três frutos da Expiação de Jesus Cristo segundo um apóstolo appeared first on maisfe.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *