Quando uma perda de memórina não impediu que uma família se tornasse eterna

A história a seguir pode parecer o roteiro de um filme, mas é uma história real de dois jovens adultos, membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O primeiro encontro que Laura Faganello, de 23 anos, lembra de ter tido com seu esposo, Brayden Faganello, de 25 anos, foi durante um jogo de mini golfe.

O encontro começou com uma breve conversa e ela se assegurou de fazer algumas brincadeiras “para dar uma pequena impressão de que ela era engraçada”. Não demorou para que ambos começassem a flertar, rir e se divertir muito.

“Naquele momento, já havia dois anos que éramos casados”.

A tragédia do jovem casal

Laura e Brayden, pertencem à Estaca Victoria na Columbia Britânica, eles se casaram em 14 de junho de 2016, no templo de Vancouver. Nove meses depois, Laura sofreu um traumatismo craniano, e perdeu muitas de suas lembranças a longo prazo.

Entre as lembranças que havia perdido, estavam todas as lembranças de conhecer, casar e se apaixonar por Brayden.

Ela sofreu o acidente enquanto decorava um evento e um grande poste caiu em sua cabeça. Sobre o acidente ela disse:

“No entanto, me lembro do barulho que ouvi quando o poste bateu na minha cabeça, lembro como me senti, tenho pesadelos com isso. Depois daquilo, todo mundo estava me abanando e me dizendo para não chorar. Foi então que tudo começou a ficar confuso”.

Ela se lembra de andar pelo local do evento e de querer que seus pais fossem busca-la, sem lembrar que seus pais haviam se mudado para Bruxelas, na Bélgica três anos antes. Suas memórias começaram a desaparecer.

Quando ela recebeu uma mensagem de texto de Brayden perguntando onde estava, ela não fazia ideia de que tinha um esposo, mas em sua confusão ela simplesmente respondeu: “Bati a minha cabeça”.

“Eu estava trabalhando na parte exterior de uma casa a uns 10 minutos”, conta Brayden. “Assim que li a mensagem, deixei meu cinto de ferramentas cair, corri para meu carro e fui busca-la. Quando a encontrei, ela estava muito pálida. Seus olhos estavam cheios de lágrimas, sua respiração estava acelerada e parecia que algo estava muito errado”.

Brayden levou Laura para casa e ela dormiu. Segundo o casal, ela não fez muito mais do que dormir nas duas semanas seguintes do acidente. De fato, ela não se lembra de nada desse período.

Uma esposa que não reconhecia seu companheiro eterno

Ela acordou ao lado de Brayden, desejando casualmente um “bom dia”, e não fazia ideia de quem ele era. Ela disse que sua cabeça estava girando e que “sentia muita dor e precisava vomitar”.

Laura disse que “A caminho do banheiro, me lembro de ter visto um álbum de casamento na mesa, eu estava muito confusa. Em minha cabeça eu tinha 17 anos e estava no ensino médio. Tinha que estudar para as provas. Não conseguia entender o fato de estar casada e de morar no Canadá”.

Depois de várias visitas a hospitais e consultórios médicos, Laura e Brayden começaram um lento processo de recuperação.

O tratamento de Laura foi conduzido pela Dra. Kate Brookfield, que começou a ajudar com o processo de recuperação 15 meses depois do acidente. Em uma entrevista por e-mail com o Deseret News, ela disse que o caso de Laura é “o único em sua classe”.

“Não posso estar casada com você”

Embora tentasse permanecer positiva e animada após meses de um lento progresso, Laura chegou ao fundo do poço.

Ela se sentiu deprimida, presa e sem controle, porque sentia que estava enfrentando as consequências, boas e más, de decisões que não se lembrava de tomar, o que incluía estar casada com alguém que não conhecia.

“Eu disse ao Brayden que não poderia estar casada com ele, porque não me lembrava de ter me comprometido a mais tempo”, disse Laura. “Precisávamos nos comprometer de permanecermos juntos ou teríamos que seguir por caminhos diferentes”.

Um segundo “primeiro encontro”

Em janeiro decidimos começar a sair novamente. Primeiro nos tornamos melhores amigos, logo estávamos fazendo todas as coisas que um casal faz quando estão apaixonados pela outra pessoa”, disse Laura.

“Foi impactante, foi realmente estranho reconstruir essa conexão com ela, porque eu me sentia próximo, mas ela não”. Brayden foi muito paciente, amoroso e carinhoso.

Enquanto estavam em processo de namoro pela segunda vez, Laura continuava a progredir. Em 19 de agosto, Brayden “fez novamente a pergunta” e Laura disse “sim”.

“Eu estava pronta para dizer sim novamente porque ele se tornou alguém que eu não podia imaginar deixar escapar”.

As bênçãos do casamento eterno

“Esses últimos anos têm sido um progresso lento e paciente”, disse Brayden. “Tem havido inúmeros milagres nos últimos anos. Muito jejum, muitas bênçãos e muitas idas ao templo que nos levaram a poder estar no lugar onde estamos hoje. Tudo vem de nossos pequenos e pacientes esforços”.

“Sei que nossos votos foram mais do que votos terrenos”, disse Brayden. “Eu sabia da importância eterna do compromisso que havíamos feito um com o outro. Durante os tempos difíceis, me apeguei muito a isso”.

Mesmo que Laura não se lembre dos detalhes de seu casamento, ela sabia que por toda a sua vida, desejou casar-se no templo.

“A razão pela qual estamos juntos são os nossos esforços para ser mais como Cristo”, disse Laura. “Nós dois estávamos um pouco estranhos um com outro antes do acidente. Passamos pelas típicas brigas de novos casais e não éramos pacientes um com o outro. Ao estudarmos nossas escrituras juntos após o acidente, implementamos todas as lições em nossas vidas”.

“Mesmo que algo não aconteça exatamente quando você quer, isso não significa que Ele não te conhece”, disse Laura. “Eu sei que Deus me conhece. Eu sei que Ele viu cada lágrima. Ele ouviu cada oração”.

Laura e Brayden Faganello declararam que sua fé tem sido o fator mais importante em sua cura física e emocional.

Fonte: The Church News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *