Tal como Maria, você também é uma filha escolhida de Deus

Quando o anjo Gabriel apareceu à Virgem Maria e a informou de sua gravidez milagrosa, a história mudou para sempre. Este evento, também conhecido como a Anunciação à Maria, foi o primeiro milagre da vida de Cristo e foi a porta para Seu ministério e papel divino.

“A anunciação” por Leonardo Da Vinci

A Anunciação

Maria estava em Nazaré quando o anjo Gabriel lhe apareceu. Na época, Maria estava prometida a José. Um noivado era um sério contrato entre um homem e o pai da mulher com quem ele queria se casar. Um noivado era muito mais sério do que temos hoje em dia e tinha consequências graves, se o contrato fosse quebrado.

O Arcanjo Gabriel apareceu a Maria e disse-lhe para não temer. Ele então lhe explicou que ela milagrosamente engravidaria. O filho de Maria seria chamado de Jesus, que seria o filho de Deus e governaria sobre o mundo para sempre. Gabriel explicou a Maria que ela ficaria grávida por meio do Espírito Santo. Gabriel então informou Maria que sua prima, Isabel, também teria milagrosamente um filho em sua velhice.

Aqueles da fé católica creem em algo chamado de Imaculada Conceição, que ensina que Maria nasceu protegida do pecado original (ou da queda de Adão) e foi, portanto, sem pecado. Como Santos dos Últimos Dias, não acreditamos que seja esse o caso.

Pessoalmente acredito que o fato de Maria não ser alguém perfeita é um aspecto bonito desta história. Deus confiou a uma mortal pecadora a responsabilidade de ter e criar Seu filho. Deus continua a confiar em Seus filhos imperfeitos para cumprir Seu trabalho.

Cristo nasceu num corpo mortal de uma mulher mortal, tal como nós. Cristo recebeu um corpo e isto era uma parte vital do Plano; Seu corpo mortal permitiu que Ele cumprisse Seu papel como nosso Salvador. Irmão Brian K. Ashton, o segundo conselheiro na presidência geral da Escola Dominical, disse em seu discurso, O Pai:

Durante a mortalidade, o Pai Celestial nos concede as condições necessárias para progredirmos em Seu plano.

Pai Celestial gerou Jesus Cristo na carne e providenciou o auxílio de que Ele precisaria para cumprir Sua missão mortal. Da mesma maneira, o Pai Celestial vai ajudar cada um de nós se nos esforçarmos para guardar Seus mandamentos.

Maria – mais do que uma virgem

Maria é o exemplo perfeito de virtude, obediência e retidão. Muitas vezes pensamos nela como “a virgem”, mas ela tinha muitas outras qualidades. Enquanto ser virgem desempenhou um papel fundamental nesta história (sua virgindade é o que fez a concepção um milagre), Maria não deve ser limitada ao título de “virgem”.”

Maria é um exemplo maravilhoso para todas as mulheres de abnegação e obediência completa ao plano divino do Pai Celestial. Maria era uma humilde serva do Senhor. Ela foi selecionada por Deus para criar o Seu Unigênito. Que papel importante! No entanto, ela humildemente aceitou o seu destino.

Maria também é um exemplo de força em meio a dificuldades. Maria sentiu medo e incerteza durante a anunciação, um sentimento que muitas mulheres modernas experimentam quando descobrem que estão grávidas. No entanto, Maria creu nas palavras do anjo e continuou em retidão.

Quando seu filho cresceu e começou seu ministério, Maria suportou a dor da perseguição ao Seu lado, algo que as mães modernas continuam a fazer.

Embora não haja relatos exatos, podemos assumir que Maria abraçou o Salvador enquanto ele chorava, apoiou-o em seus muitos esforços, e O amou infinitamente, mesmo com suas preocupações e dores. Que exemplo maravilhoso para todas as mães.

Maria – e o plano de Deus

Em Lucas 1, lemos sobre a reação de Maria quando o anjo apareceu – no início, Maria estava aterrorizada. O anjo Gabriel lhe disse nos versículos 30-31:

“Disse-lhe então o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus; E eis que em teu ventre conceberás, e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de JESUS.

Depois que o anjo anunciou sua gravidez, Maria duvidou de sua veracidade, perguntando: “Como se fará isso?” Quantas vezes perguntamos ao Senhor: “como isso poderia acontecer comigo? Como é possível?”

O Arcanjo Gabriel respondeu a esta pergunta dizendo: “Porque para Deus nada será impossível.” Como Maria fez, devemos encontrar conforto nesta frase. Por meio de Deus, todas as coisas são possíveis e, portanto, são possíveis de superar.

Como explicado anteriormente, Maria foi prometida a José. Se uma pessoa tivesse relações sexuais durante o noivado, seria punida e, possivelmente, apedrejada até à morte.

Maria entendia essas consequências e provavelmente temia por sua própria vida. Porém, Maria confiou plenamente em Deus, aceitando o Seu desígnio para ela, dizendo: “Eis aqui a serva do Senhor!” Que exemplo incrível para cada um de nós. Colocar nossos próprios desejos de lado para cumprir o plano de Deus.

Maria – o vaso escolhido

Maria foi escolhida antes desta vida para ser mãe de Cristo. Há muitos relatos nas escrituras do nascimento de Cristo e Maria, chamando-a pelo nome, como em Alma 7:10-13, provando que Maria foi selecionada antes de vir à terra para dar a luz ao filho de Deus.

Maria tinha um papel importante como a mãe do Salvador. Seu papel foi um presente de Deus.

Enquanto os anjos geralmente não aparecem para as mulheres nos tempos modernos para informá-las que estão grávidas, às vezes os patriarcas se sentem inspirados a informar os homens e as mulheres em suas bênçãos patriarcais que eles serão pais em Sião.

Não é lindo?

Podemos ter nossas próprias anotações pessoais em nossas bênçãos patriarcais. As mulheres modernas são vasos escolhidos para os seus próprios filhos.

À medida que se aproxima o Natal, os convido a lembrar e a aprender com Maria. Vamos refletir e lembrar dela como mais do que apenas a Virgem Maria.

Fonte: ThirdHour

Relacionado:

Uma carta sincera para os 5 tipos de mães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *