Vem e Segue-me – “Deus ama ao que dá com alegria” – 2 Coríntios 8-13

Para apoiar o programa de aprendizado da Igreja – “Vem, e Segue-me” – estamos publicando semanalmente comentários sobre a lição designada. Estamos estudando o Novo Testamento em 2019. Na lição de hoje, estudaremos 2 Coríntios 8-13

Na lição desta semana o apóstolo Paulo ensinou que devemos ajudar os pobres. Ele falou sobre suas fraquezas e como Deus tem nos ajudado com sua graça. Paulo também falou sobre um homem que subiu ao terceiro céu (o Reino Celestial).

Generosidade

Em Deuteronômio 15:11 diz:

“Pois nunca deixará de haver pobre na terra”

O Elder Jeffrey R. Holland disse:

“No decorrer da história, a pobreza tem sido o maior e mais difundido problema da humanidade. O sofrimento óbvio resultante disso é geralmente físico, mas o dano espiritual e emocional que ela pode causar talvez seja ainda mais debilitante.” (“Não Somos Todos Mendigos?”, A Liahona, novembro de 2014, p. 40)

Paulo disse aos santos de Corinto que os membros da Igreja na Macedônia deviam doar generosamente para ajudar os pobres em suas necessidades materiais. O Elder Holland afirmou:

“Ricos ou pobres, temos de ‘fazer o que pudermos’ pelos necessitados” (“Não Somos Todos Mendigos?”, p. 41).

Precisamos ser generosos e ajudar a aliviar os fardos uns dos outros. O Elder Dieter F. Uchtdorf disse:

“Neste exato momento, há muitos membros da Igreja que sofrem. Estão famintos, financeiramente apertados e se debatendo com todo tipo de aflição física, emocional e espiritual. Oram com toda a energia de sua alma pedindo alívio e socorro.

Irmãos, não pensem que isso é responsabilidade de outra pessoa. É responsabilidade minha e sua. Estamos todos convocados. ‘Todos’ significa todos — todo portador do Sacerdócio Aarônico e de Melquisedeque, ricos e pobres, de todos os países. No plano do Senhor, todos podem contribuir com alguma coisa” (“Prover à Maneira do Senhor”, A Liahona, novembro de 2011, p. 54).

Espinho na Carne

Não temos certeza qual era “o espinho na carne” de Paulo. ele orou com fervor para que o Senhor removesse a sua dor – mas Deus não o fez – para que essa fraqueza levasse Paulo a ser fortalecido espiritualmente, através da graça de Cristo.

O Élder Bruce R. McConkie, do Quórum dos Doze Apóstolos, sugeriu que o espinho de Paulo deve ter sido “alguma enfermidade física não mencionada, aparentemente uma grave, da qual o apóstolo sofria contínua ou periodicamente” (Doctrinal New Testament Commentary [Comentário Doutrinário do Novo Testamento, 3 vols., 1965–1973, vol. II, p. 448).

Todos temos que lidar com nossos espinhos na carne. O Presidente Dalllin H. Oaks comentou sobre isso:

“Alguns perderam um ente querido para a morte ou cuidam de outro com doenças graves. Outros foram atingidos pelo divórcio. (…) Outros têm deficiências físicas ou mentais debilitantes. Alguns se debatem contra a atração pelo mesmo sexo. Outros têm terríveis sentimentos de depressão ou incapacidade. De uma maneira ou de outra, muitos estão oprimidos

(…)

O poder de cura do Senhor Jesus Cristo — quer Ele remova nossos fardos ou nos fortaleça para perseverarmos e vivermos com eles como o Apóstolo Paulo — aplica-se a todas as aflições da mortalidade” (“Ele Cura os Oprimidos”, A Liahona, novembro de 2006, p. 6).

Podemos ser curados imediatamente ou receber forças para suportar a aflição até que o Senhor deseje retirá-la. De qualquer maneira, pela graça de Cristo, que é seu poder capacitador e fortalecedor, podemos vencer.

Veja um vídeo que comento essas passagens:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *