Artista pinta retratos de missionarios que faleceram enquanto serviam

Em seu estúdio de arte, um veterano do Vietnã de cabelos grisalhos e olhos gentis disse que sofreu um ataque cardíaco em 2013. Seu cardiologista lhe deu menos de dois anos de vida.

Quase uma década depois, Johansen ainda está aqui. Seu médico disse que ele nunca teve um paciente nesta circunstância cuja saúde melhorou.

Durante um check-up recente, ele perguntou a seu paciente “o que ele faz hoje em dia?”

“Pinto quando posso”, respondeu Johansen.

Na verdade, é mais do que apenas pintar. Johansen investiu incontáveis ​​horas na criação em mais de 125 retratos de missionários santos dos últimos dias que faleceram enquanto serviam e os deu de presente para suas famílias. Seu médico ficou impressionado.

“Ele diz: ‘Vou escrever sobre você, você é único’”, disse Johansen. “‘Vou dizer a todos os meus sobreviventes cardíacos que, se quiserem continuar vivendo, precisam começar a pintar retratos de pessoas que faleceram.’”

Johansen, que completará 77 anos em 13 de janeiro, e disse acreditar que pintar os retratos dos missionários prolongou sua vida.

“Eu me sinto bem na maioria dos dias. …Essa coisa está me mantendo vivo, pelo menos física e espiritualmente. E com certeza me abençoou”, disse Johansen. “Enquanto eu puder continuar, acho que pintarei.”

A pintura como terapia

O interesse de Johansen pela pintura remonta ao seu serviço militar na Guerra do Vietnã.

Johansen e três outros soldados estavam rastreando um general norte-vietnamita pela selva um dia quando uma aeronave lançou o venenoso Agente Laranja sobre eles. Os efeitos do herbicida tático causaram danos a longo prazo aos pulmões e ao coração de Johansen.

A guerra também o deixou com algumas memórias traumáticas.

Várias décadas depois, em junho de 2013, Johansen e sua esposa haviam retornado recentemente de uma missão para a Igreja de Jesus Cristo na Nigéria quando ele sofreu um ataque cardíaco.

“Eles me disseram que meu coração havia falhado por causa de coágulos de sangue em meus pulmões”, disse ele.

Foi nessa época que Johansen começou a pintar como forma de terapia. Ele teve a ideia de pintar retratos de crianças que tinham doenças terminais ou que morreram e doá-los aos pais. “Se gostassem, maravilha! Se não, eles não precisavam guardá-la”, disse Johansen.

“Então comecei a pintar”, disse Johansen. “Percebi que ansiava por acordar todas as manhãs e pintar. Houve dias em que não me senti bem, mas foi uma coisa positiva para mim por causa de algumas das experiências que tive. Isso me ajudou a ser feliz.”

Pode ser interessante: Está sentindo aquela tristeza pós-missão? Você não está sozinho

“Um projeto grande e maravilhoso”

Em 2014, o Élder Mason Bailey, de Richfield, foi atropelado por um carro enquanto servia na Missão Estocolmo Suécia. Johansen recebeu um telefonema da mãe do missionário perguntando se ele poderia pintar um retrato de seu filho?

O artista concordou e pintou um retrato do missionário.

O retrato de Bailey logo foi notado por Cindy Thredgold. Seu filho, Connor Thredgold, e seu companheiro morreram de envenenamento por monóxido de carbono em Taiwan em 2014. Ela também pediu um retrato, e ele se tornou a quarta pintura missionária de Johansen.

Depois de receber o retrato, Cindy Thredgold disse a Johansen que havia usado suas habilidades como genealogista e pesquisadora para encontrar e documentar centenas de missionários falecidos em seu blog.

“Foi isso que nos fez trabalhar juntos”, disse ela.

Até o momento, Johansen completou 127 retratos e está trabalhando em outros 10 ou 11. Ele planeja continuar enquanto tiver energia e permissão da família para pintar missionários. Cada retrato é fornecido sem nenhum custo.

Élder Connor Thredgold por JR Johansen.
Faleceu em 2014 enquanto servia na Missão Taiwan Taipei.

Thredgold diz que encontrou mais de 1.000 missionários que morreram no campo missionário ao longo dos anos. Isso é menos de 0,001% dos mais de 1 milhão de missionários que serviram desde os primeiros dias do trabalho missionário em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Isso é 1/20 da taxa normal de mortalidade para jovens, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Thredgold compilou uma lista com todas as informações em seu site. Seu objetivo é manter uma fonte para que Johansen tenha as informações de missionários para pintar porque ela acredita que isso o ajuda ter saúde, disse ela.

“Foi um projeto enorme e maravilhoso, e muitas pessoas são abençoadas por ter esses retratos em casa”, disse Thredgold.

Ajudar Johansen também enriqueceu a vida de Thredgold, apesar de perder seu filho.

“Eu com certeza adoraria ter Connor de volta”, disse ela. “Mas, ao mesmo tempo, se ele nunca tivesse falecido, essa conexão com todas essas outras famílias nunca teria acontecido, e eu tenho alguns amigos queridos por causa disso que eu nunca teria.”

‘Experiências maravilhosas’

Élder Hërmann Kërëdjim Mwankën por JR Johansen.
Faleceu em 2019 enquanto servia na Missão República Democrática do Congo Mbuji-Mayi

Algo especial aconteceu quando Johansen pintou o retrato do Élder Jeremy McCauley, um missionário de Payson que faleceu de causas desconhecidas enquanto servia na Missão Wisconsin Milwaukee da Igreja.

Ele começou a trabalhar em uma segunda-feira de manhã por volta das 9 da manhã e ao meio-dia terminou. Durante o processo, ele descobriu uma nova técnica que não havia usado antes.

Curioso, Johansen ligou para a mãe do missionário com uma pergunta.

“Ele gostava de arte?” ele disse. “Porque eu sinto que ele esteve aqui me ajudando.”

A mãe informou a Johansen que seu filho se destacava em arte e era um Sterling Scholar, um reconhecimento dado aos melhores alunos do ensino médio de Utah em várias disciplinas.

“Foi uma experiência poderosa para mim”, disse Johansen. “Tive experiências maravilhosas ao pintar esses retratos.”

As experiências sagradas também aconteceram na entrega de retratos às famílias.

Veja também: Como é a obra missionária durante uma pandemia

“Bem-vindo ao lar”

Élder Michael Davis retratado por JR Johansen.

No verão passado, o Élder Michael Davis, de Corinne, Utah, foi um dos dois missionários que faleceram em um acidente de carro enquanto servia no Novo México.

Ele estava a apenas algumas semanas de completar seu serviço e voltar para casa quando ocorreu o acidente, e sua família já havia preparado uma festa de boas-vindas. Eles decidiram seguir em frente como planejado, disse Kim Davis, sua mãe.

Johansen trabalhou com um membro da família enquanto pintava, pedindo feedback e opiniões enquanto desenhava, adicionava cores e terminava o retrato.

Quando ele desembrulhou e apresentou o retrato no evento familiar, a maioria o estava vendo pela primeira vez, incluindo seus pais.

“(O pai do missionário) caiu de joelhos e disse: ‘Mike, bem-vindo ao lar’”, disse Johansen. “Foi tão emocionante para mim quanto para eles.”

O que a família mais amou na pintura é como ela parecia trazer seu filho de volta à vida. Os esforços de Johansen para conhecer Michael e sua atenção aos detalhes produziram uma obra-prima que significou muito para a família.

“Não era apenas uma foto do nosso filho. Ele capturou sua personalidade. Havia muito sentimento. Foi lindo”, disse Kim Davis. “Foi um momento muito espiritual para todos nós.”

Mais retratos para pintar

No início de 2022, Johansen adicionou os toques finais a um retrato para a família do Élder Nicholas Ferrin, que sofreu um aneurisma cerebral enquanto servia na Missão Oregon Portland em 2010.

Ele também está trabalhando no rosto sorridente de Lynn Larson, que foi chamada para a Missão Itália Milão, mas morreu em um acidente de carro alguns dias antes de sua partida.

Do outro lado da sala em seu estúdio, Johansen folheia as páginas coloridas de “These Angels Among Us”, um livro que ele publicou em 2020.

Ele apresenta os retratos e biografias de seus primeiros 103 retratos missionários. Com o generoso apoio da família Ken Garff, Johansen conseguiu dar às famílias uma cópia do livro junto com o retrato de seus filhos e missionários.

Fonte: Deseret News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *