Somente ir à Igreja não nos traz felicidade

Existem milhares e milhares de membros fiéis da igreja que vivem em um estado constante de infelicidade. Eles fazem “todas as coisas certas”, por assim dizer.

Pagam o dízimo, oram e leem as escrituras. Eles estão guardando os mandamentos e frequentando todas as reuniões. Eles servem missões, ajudam uns aos outros e fazem sacrifícios que estão ligados às “bênçãos prometidas”.

Eles estão tomando o sacramento, vivendo dignamente e não estão cometendo nenhum pecado grave. Eles são pessoas boas, que vivem vidas honestas e fazem coisas boas… e ainda assim, não conseguem encontrar a felicidade.

A Igreja é igual a felicidade?

Durante anos, eu usaria o conceito de felicidade como a principal razão para convidar alguém a ir à Igreja. Eu diria algo como: “Se você simplesmente vistar a igreja e adorar a Deus conosco, então você encontrará a felicidade”.

Uma boa ideia, mas… bem… como aprendi, completamente incorreta.

O que eu deveria ter dito era isto: “Se você for à igreja, aprenderá sobre Cristo e uma restauração maravilhosa. Você aprenderá sobre famílias eternas e terá muitas oportunidades de servir aos outros. Essas coisas ajudarão você a construir um ambiente em que a felicidade duradoura possa crescer e florescer dentro de sua alma ”.

Por muitas pessoas se unirem à igreja para “encontrar” a felicidade, elas ficam desanimadas, às vezes, quando se vêem indo à igreja e ainda assim se sentindo infelizes.

Com o tempo, eu aprendi estas duas lições de vida significativas:

A felicidade não é algo que você pode encontrar.

Não há nenhuma igreja na face da terra que possa te fazer feliz. Nem mesmo se essa igreja for verdadeira.

A chave da felicidade

Sabe, poderia existir dois povos igualmente dignos, vivendo os mesmo princípios, fazendo os mesmos sacrifícios e frequentando a mesma igreja. Um poderia ser completamente feliz e satisfeito e o outro poderia ser miserável até o âmago.

A chave para ser feliz não pode ser encontrada em uma teologia ou em uma ideologia. A pessoa com quem você se casa não vai “fazer você feliz”. Os seus filhos não vão lhe dar satisfação duradoura. A sua carreira, o seu carro ou a sua casa… nada disso é capaz de fazer você feliz. Mesmo servir aos outros, como tantas vezes associamos com a verdadeira felicidade, não nos fará feliz.

Nós naturalmente procuramos por coisas, por experiências, por relacionamentos, e por qualquer coisa que pensamos que possa nos trazer aquela felicidade e paz.

Dizemos que, se ganharmos uma quantidade x de dinheiro, teremos certeza de que ficaremos felizes … porque, então, é claro, poderemos servir mais pessoas. Então gastamos metade de nossas vidas indo atrás “desse montante” que nos permitirá focar nos outros de forma mais completa.

Como resultado, muito tempo de nossas vidas é gasto com foco em nossa lista de coisas que precisamos fazer para ter uma vida feliz:

“Se eu for à igreja, encontrarei felicidade”

“Se eu me casar, ficaria feliz com certeza.”

“Se conseguir este trabalho ou se tiver sucesso nesta empresa, então eu vou ser a pessoa mais feliz do mundo.”

“Se eu tivesse apenas …”

E a busca continua.

Essas coisas que fazemos, as coisas que compramos, a igreja a que frequentamos, as profissões que exercemos, as doações que fazemos, os elogios que recebemos … tudo isso pode nos decepcionar se nossa atitude interna e visão sobre isso não estiverem desenvolvidos.

Lembre-se quando Cristo disse aquela frase freqüentemente citada e meio ambígua sobre o Reino de Deus estar “dentro de você”?

Ele não nos disse para ir nos lavar no Tanque de Betesda ou escalar o Monte Hérmon. Ele não nos disse para fazer o impossível ou para completar uma lista de tarefas para obter uma felicidade predeterminada.

Ele simplesmente nos disse para olhar dentro de nós mesmos.

Felicidade interior

Você se lembra da carta de Paulo aos Coríntios, em que ele fala sobre dar por necessidade? Estamos fazendo algo de bom que tem o potencial de contribuir para a nossa felicidade interior! No entanto, nossa atitude e intenção têm a capacidade de fazer com que nossos esforços sejam autodestrutivos.

A Igreja, o evangelho, até mesmo o próprio Jesus Cristo não podem fazê-lo feliz se você não quiser. Tudo isso são ferramentas, projetos e exemplos que, se implementados, seguidos e utilizados, podem colocá-lo no caminho para a felicidade. Há muitas pessoas que aceitaram a Cristo e ainda são infelizes e, ao mesmo tempo, muitas pessoas que aceitaram a Cristo e são extremamente felizes.

Servir na propriedade rural da igreja ou trabalhar no armazém do bispo não vai fazer você feliz se você estiver resmungando com a pá na mão ou com cada sopa que você colocar nas prateleiras. Mas uma mudança em sua perspectiva poderia mudar tudo.

Ir ao templo não vai mudar nada por você, se você está indo apenas para que os outros pensem que você é digno. Mas uma mudança de intenção poderia mudar o jogo.

Ordenanças não são nada sem a perspectiva correta e sem a intenção correta da pessoa que as executa.

A igreja e toda a sua bondade não podem nos fazer felizes, e a Igreja, com todas as oportunidades para melhorarmos, não pode nos deixar infelizes.

Criar a felicidade

É minha visão e minha atitude sobre todas essas coisas que fazem a diferença.

Isso é o “arbítrio”, que é tão importante para Deus.

Com certeza “Aqui estão as ferramentas para criar a felicidade duradoura. O resto é com você. O Reino de Deus está dentro de você. Agora construa sua própria mansão de felicidade.”

Sua intenção e a condição de sua alma é tudo.

Você precisa diligentemente criar esse ambiente de dentro para fora.

Você não pode encontrar a felicidade. Você tem que criá-la.

Fonte: Greg Trimble

Relacionado:

Por que a sua felicidade é tão importante para Deus

2 comentários em “Somente ir à Igreja não nos traz felicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *