Pres. Oaks: “As doutrinas reafirmadas em ‘A Família: Proclamação ao Mundo’ não mudarão.”

Em uma continuação aos ensinamentos dados a duas semanas atrás pelo Presidente Nelson, na Universidade Brigham Young, o Presidente Dallin H. Oaks, primeiro conselheiro na Primeira Presidência, falou sobre a eterna natureza dos filhos de Deus, Seu plano para eles e os mandamentos de amar a Deus e amar ao próximo.

Seu discurso foi proferido durante a conferência de liderança que antecede a Conferência Geral neste fim de semana.

O Presidente Oaks disse:

“Enquanto os mandamentos de Deus proíbem todos os comportamentos obscenos e reafirmam a importância do casamento entre homem e mulher, a Igreja e seus membros fiéis devem estender a mão com compreensão e respeito a indivíduos que têm atração por pessoas do mesmo sexo ou pessoas que a orientação ou identidade de gênero é inconsistente com o seu gênero de nascimento,”.

Ele continuou:

“Não sabemos porque a atração pelo mesmo sexo e a confusão sobre identidade sexual ocorrem. Isso está entre os desafios que as pessoas podem passaram na mortalidade, o que é somente uma pequena fração da nossa existência eterna.”

O Presidente Oaks falou sobre três verdades doutrinárias fundamentais que Deus revelou:

“Primeiro, que Deus criou ‘homem e mulher,’” e que essa “criação binária é essencial para o plano de salvação.”

“Segundo, revelação moderna ensina que a vida eterna, o grande presente de Deus para Seus filhos, somente é possível através dos poderes de criação inerentes na combinação de homem e mulher unidos em um casamento eterno (Ver D&C 132:19). É por isso que a lei da castidade é tão importante.”

“E finalmente, as declarações doutrinárias reafirmadas a 23 anos atrás em ‘A Família: Proclamação ao Mundo’, não mudarão. Elas podem ser esclarecidas por inspiração.” Por exemplo, “o significado pretendido de gênero na proclamação da família, e como é usado nas afirmações e publicações da Igreja desde o tempo em que foi publicada, é o sexo biológico de nascimento.”

“Ao conversar com alguns membros que passam por desafios relacionados à orientação sexual, os líderes da Igreja devem afirmar que Deus ama todos os seus filhos, incluindo aquele que estão confusos sobre sua identidade sexual ou têm sentimentos LGBTs,” disse o presidente Oaks.

“Esses membros e suas famílias têm desafios únicos. Ele devem receber esperança e serem ministrados como direcionado pelo Espírito e de acordo com suas verdadeiras necessidades, recordando a admoestação de Alma de chorar com os que choram e consolar aqueles que necessitam de consolo (Ver Mosias 18:9).”

 “Porque nós amamos Deus e entendemos o Seu grande plano de salvação e o significado de Seus mandamentos, manifestamos nosso amor ao nosso próximo ao ajudá-lo a vir a Cristo, se arrepender e guardar os mandamentos Dele. Isto faz parte de carregar os fardos uns dos outros para que eles se tornem leves.”

Fonte: Newsroom.churchofjesuschrist.org

Relacionado:

Primeira Presidência anuncia que mulheres podem agora ser testemunhas em certas ordenanças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *