O melhor conselho sobre casamento que já ouvi

Há muitos fatos e conselhos sobre casamento na internet. Vamos começar com os fatos:

Os fatos

A taxa de divórcio está diminuindo, mas isso acontece porque há cada vez menos casamentos sendo registrados.

A média de casamentos que terminará em divórcio dura de sete a oito anos.

Cerca de 40% dos primeiros casamentos, 60% dos segundos casamentos, e 70% dos terceiros casamentos terminam em divórcio ou separação.

Cerca de 75% das vezes, são as esposas pedem o divórcio.

Casais com fortes crenças religiosas divorciam-se 14% menos.

Se o casal tiver um filho antes do casamento, o risco de divórcio aumenta 24%.

Os casais de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias têm uma das taxas mais baixas de divórcio entre outras religiões.

60% dos casais que apenas moram juntos se casam de fato. No entanto, viver junto antes do casamento pode aumentar a chance de divórcio em até 40%.

O vício da pornografia contribuiu para 56% dos divórcios.

A dependência de vídeo games aumenta as hipóteses de divórcio em 15%.

Os casais com filhos divorciam-se até 40% menos do que os casais sem filhos.

O casamento requer trabalho e compromisso. O casamento é sagrado e é ordenado por Deus.

O presidente Nelson disse: “o casamento é santificado quando é amado e honrado em santidade. Essa união não é apenas entre marido e mulher; ela abraça uma parceria com Deus (ver Mateus 19:6).”

Um excelente conselho

O meu marido adora fazer listas. Ele escreveu um artigo: “Vinte maneiras de tornar um bom casamento em um excelente casamento”, que foi publicado na revista Ensign em 1983.

Sempre faça oração de manhã e à noite para agradecer, para pedir ajuda no casamento e na família, para adorar juntos.

Determine uma reunião semanal de planeamento para discutir o calendário, falar sobre necessidades e problemas, decidir as prioridades e os próximos passos. (Escreva as decisões em um diário, incluindo objetivos e tópicos de discussão, e as razões para cada um.)

Dê um telefonema diário ou tenha uma conversa pessoal para dizer “amo você”, para discutir o dia, para mostrar que você se importa.

Tenha um encontro semanal em um parque favorito, um concerto, uma biblioteca, um ginásio, ou fique em casa e faça um jantar à luz das velas, um jogo, ou um passatempo em comum.

Tenha paciência, independentemente de refeições perdidas, atraso, favores esquecidos, um comentário irrefletido, falta de paciência.

Sirva diariamente, ajude no trabalho doméstico, a arrume uma peça de roupa, se reveze para cuidar do bebê doente, cozinhe ou pela uma refeição favorita. (Anote e faça!)

Planeje um orçamento para reduzir os custos e despesas, ajude a estabelecer objetivos financeiros e tenha o controle das suas finanças.

Ouça, não só o que é dito, mas também o que é significado.

Seja assíduo na igreja e quando possível, no templo.

Estabeleça uma meta de leitura diária das escrituras para aprender o evangelho, para receber inspiração para si e para o seu casamento, para se tornar mais como Jesus Cristo.

Trabalhem juntos ao cuidar de um jardim, pintar um quarto, lavar o carro, esfregar o chão, montar uma peça de mobília, escrever um poema ou ensinar uma aula na Igreja.

Perdoem um ao outro, sempre aprendam um com o outro, tentem uma maneira diferente, sejam os primeiros a fazer as pazes.

Seja cortês, use palavras como “por favor” e “obrigado”, sem interromper ou menosprezar, não seja sempre o único a falar, continue com as delicadezas do namoro.

Tenha sempre palavras gentis e bondosas de ternura, compaixão, empatia.

Aprendam juntos, lendo uns para os outros, discutindo ideias, estudando.

Respeite as opiniões, as ideias, a privacidade.

Apoie os chamados na Igreja do seu cônjuge e seus objetivos justos.

Cuide da família do seu cônjuge, desfrutando da sua companhia, orando por eles, servindo-os, ignorando as diferenças.

Dê presentes ocasionais como um bilhete, um item necessário, mas principalmente presentes como o seu tempo e você mesmo.

Ame com todo o seu coração. “Amarás a tua mulher com todo o teu coração, e unir-te-ás a ela e a mais ninguém” (D&C 42, 22).

Esses são ótimos conselho, não são?

Recentemente, ouvi o irmão Mark L. Pace, presidente geral da escola dominical, falar num devocional da BYU.

Na última seção de seu discurso ele destacou: “ore com uma disposição humilde de ouvir e agir com fé.” Irmão Pace ilustrou essa frase com uma experiência pessoal.

O melhor conselho de casamento

Mark L. Pace e sua esposa, Anne Marie.

“Minha esposa, Anne Marie, e eu fomos selados no Templo de Salt Lake em 21 de novembro de 1978. Estamos casados há mais de 42 anos.

Anne Marie é uma mulher de grande talento e fé. Ela é extraordinária em todos os sentidos. O marido dela é bem intencionado, mas é um tipo normal.

Durante todo o nosso casamento, tivemos diferentes opinião sobre vários assuntos. Isto não é realmente surpreendente, somos pessoas diferentes, de diferentes origens e vemos as coisas de diferentes perspectivas.

No entanto, no início do nosso casamento, isso foi por vezes frustrante e difícil para ambos. Naquela época, eu pensava que as nossas diferenças eram uma fraqueza no nosso casamento.

Agora percebo que as nossas diferenças são uma força. Mas aqueles primeiros anos foram desafiadores.

Quando discordávamos, eu geralmente concluía que a melhor solução era que Anne Marie mudasse de ideia.

Tenho vergonha de dizer que, às vezes, quando eu era incapaz de mudar a perspectiva de minha esposa, eu orava e pedia a ajuda do Pai Celestial para que Ele o fizesse por mim.

Bem, como podem imaginar, essas orações percorreram seu caminho celestial. Duvido que tenham chegado ao teto do nosso quarto.

Com o passar do tempo, e com um pouco mais de humildade da minha parte, minhas orações mudaram. Deixei de pedir ao Pai Celestial para mudar a Anne Marie.

Em vez disso, quando realmente desejava a ajuda do céu, ajoelhava-me em oração com um bloco de papel e uma caneta. A minha oração era mais ou menos assim:

‘Querido Pai Celestial, eu amo a Anne Marie. Ela significa tudo para mim e sou muito grato por ela e pelo nosso casamento. Desejo ser um bom marido. Recentemente, tivemos uma diferença de perspectiva em algumas áreas. Aproximo-me de Ti em oração, procurando a Tua direção. O que posso fazer para fazer mudanças na minha vida que abençoem o nosso casamento? Estou disposto a mudar. Tenho aqui papel e uma caneta para poder tomar notas. Por favor, perdoa-me pelas minhas fraquezas e diz-me o que posso fazer para ser melhor.’

Esse tipo de oração chega ao céu.

Eu, então, pausava a minha oração e pegava na caneta. Quando os pensamentos vinham, eu os escrevia. Muitas vezes, havia muitos pensamentos.

Eu escrevia, orava, orava e depois escrevia. O céu estava perto durante essas orações, enquanto o Espírito Santo falava comigo na minha mente e no meu coração.

Então, quando me levantava de joelhos, ia trabalhar nos itens presentes em minha lista. Ao me esforçar para cumpri-las, as coisas sempre melhoravam. Sem falhar, elas sempre melhoraram.

A paz, a unidade e o amor aumentaram em nossa casa e em nosso casamento. O Pai Celestial sabe abençoar e fortalecer casamentos e famílias. Afinal, “a família é ordenada por Deus.”

Orar com uma humilde vontade de ouvir e agir pela fé, sempre traz as bênçãos do céu através da influência do Espírito Santo”.

Então, digamos que Anne Marie também está orando, com um caderno na mão, pronta para receber inspiração sobre as necessidades de seu esposo e seu casamento.

Esta é uma receita que refina, eleva, e permite que Deus prevaleça em detalhes benevolentes. Se maridos e esposas seguirem este conselho, as boas estatísticas para casamentos cheios de fé em Cristo se tornarão ainda melhores.

Fonte: Meridian Magazine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *