Como um adolescente inativo e sem interesse pelo evangelho se tornou missionário

Derek se sentia um peixe fora d’água ao ver a animação de todos os outros missionários no CTM de Provo.

Alguns meses antes, servir uma missão era um pensamento que nem passava por sua mente. No geral, o evangelho não era o que mais interessava ao Derek. Sair com amigos, planejar sua vida na universidade – essas eras as coisas que mais o preocupavam.

“Eu nunca planejei servir uma missão ou estar envolvido com o evangelho. Mas, aqui estou.”

Esse choque cultural do evangelho depois da mudança de um adolescente inativo para um missionário da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ajudou Derek a se aproximar mais do Salvador e a ter um testemunho mais profundo do evangelho.

Por ter crescido em uma comunidade com um grande número de Santos dos Últimos Dias, Derek conhecia, mas não estava totalmente engajado no evangelho. Ele ia a Igreja todos os domingos com a sua família “por era o que tinha para fazer,” disse Derek, dizendo que os membros de sua família eram membros de carteirinha.

No entanto, quando Derek tinha sete anos, seu pai sofreu um acidente no trabalho. Aquele acidente mudou a vida de Derek e sua família de muitas maneiras, incluindo a limitação da mobilidade de toda a família. Gradualmente, a família de Derek parou de fazer algumas coisas que eram de costume, e uma dessas coisas era ir à Igreja.

Quando Derek se formou no ensino médio, sua família estava toda inativa. “A vida era neutra, mas nada estava realmente acontecendo,” ele disse. “Eu sempre tive essa pergunta em minha mente, ‘O que realmente estou fazendo com a minha vida?’”

Um dia, Derek estava em casa quando bateram em sua porta. Era um homem de terno e gravata, e parecia que o assunto seria a reativação de sua família.

Mas aquele não foi o caso. Na verdade, o homem se apresentou como seu companheiro de ministração.

“Eu disse, ‘Não tenho certeza se estou entendendo, porque eu não vou à Igreja,’” Disse Derek. “Ele disse, ‘Tudo bem. Você não precisa ir à Igreja para ser meu companheiro. Eu gostaria de fazer algumas visitas com você, se você concordar.’”

Inicialmente, Derek não estava interessado, mas o homem deixou seu número de telefone e disse que entraria em contato.

Algumas semanas depois, Derek recebeu uma mensagem de seu companheiro, perguntando se ele estaria interessado em visitar uma família. Derek mais uma vez, respondeu que não tinha interesse. Mas durante os meses seguintes, o companheiro de Derek ocasionalmente o mandava mensagens, perguntando se ele queria visitar uma família naquele dia.

Então, uma noite, Derek recebeu uma mensagem de seu companheiro de ministração e perguntou se ele queria sair para comer alguma coisa.

“Geralmente eu saia com os meus amigos, mas eu estava com fome. Sempre estou com fome, então eu disse ‘Tudo bem. Vamos comer alguma coisa,’ relembra Derek.

Derek conta que o jantar foi a primeira vez que alguém tirou um tempo para conhece-lo de verdade, ao invés de só tentar leva-lo a uma próxima atividade da Igreja.

No mês seguinte, Derek recebeu outra mensagem de texto de seu companheiro, perguntando se ele queria visitar uma família da ala.

“Eu só tinha que dizer ‘Claro,’” disse Derek. “Eu gostava da companhia dela e ele era muito legal comigo, e pensei ‘Sabe de uma coisa, por que não? Não tenho nada para fazer essa noite. Vou acompanhar ele.’”

Com o passar do tempo, Derek aceitava cada vez mais os convites de seu companheiro de ministração e começou a gostar de ensinar aquelas pessoas.

Uma noite, quando seu companheiro o deixava em casa, os dois começaram a conversar sobre o que Derek estava fazendo de sua vida.

“Eu disse a ele, ‘Não faço ideia. É uma boa pergunta,’” disse Derek. “Ele me respondeu, ‘Você deveria servir uma missão.’”

Naquele momento, Derek não tinha razões para servir uma missão. Ele tinha um emprego, uma namorada, estava planejando entrar na faculdade, e disse tudo isso para seu companheiro de ministração.

Mas, depois de escutar o que Derek disse, seu companheiro compartilhou as palavras que começaram a aumentar a perspectiva espiritual de Derek.

“Ele disse, ‘Sabe, estudar é muito, muito bom, e acho que você precisa fazer isso’” contou Derek. “E então ele disse, ‘Mas realmente sinto que você se daria tão bem na missão. Você pode tocar o coração das pessoas de uma maneira única. E se você for, alguém precisará de você.’”

Aquilo pegou o Derek com a guarda aberta. Na verdade, saber que alguém poderia precisar dele, adicionou um novo peso ao significado de servir uma missão. Sem ter certeza sobre o que fazer, Derek se lembrou de sua mãe.

Mesmo que sua família não estivesse mais ativa no evangelho, a mãe dele orava todas as noites, sem falhar. Derek sabia disso, porque por várias vezes ele entrava no quarto de sua mãe e a encontrava de joelhos.

Ao dar uma chance para a oração, Derek perguntou se Deus o guiaria ao ler o livro de Mórmon, onde ele encontraria a resposta se deveria ou não, servir uma missão.

“Eu disse ‘Amém,’ e abri o Livro de Mórmon, tudo o que li, e eu não sabia muito sobre o livro, falava sobre os nefitas e os lamanitas e eles estavam indo para a guerra e a impressão que tive foi, ‘De que lado você está? Você está do lado do Senhor ou do lado de Satanás?’ E aquilo me atingiu no coração.”

Depois daquela impressão, Derek sentiu que deveria fazer outra oração, esperando que o Senhor o daria aquela impressão, Ele o daria mais.

E ao orar, Derek disse que sentiu uma certa necessidade de fazer algo de sua vida, e aquele ‘algo’ era servir uma missão.

Quando os pais de Derek descobriram que ele planejava servir missão, no começo não acreditaram muito. Mas ambos abraçaram a decisão de Derek e o apoiaram.

A próxima pessoa que ele queria contar sobre sua decisão, era seu companheiro de ministração. Enquanto almoçavam, Derek deu a notícia.

“E eu me lembro que ele só parou de comer,” disse Derek. “Acho que ele derrubou o garfo, literalmente, e falou ‘Você está mentindo pra mim. Você está de brincadeira. Não é verdade.’ E eu disse, ‘Não, é verdade.’ E começamos a chorar juntos porque ele sabia que era algo que eu precisava e que outras pessoas precisavam. E eu sabia que eu também precisava.”

Depois de contar ao bispo que ele estava pronto para servir uma missão, Derek começou o processo de preparação para servir, incluindo as aulas de preparação missionária.

Mesmo ao ter começado as aulas no meio do ano, Derek sentiu que ele estava aprendendo mais sobre o evangelho do que jamais havia aprendido antes. Mas ao mesmo tempo, Derek estava preocupado porque não sabia o suficiente para ensinar outras pessoas sobre o Evangelho.

Em uma entrevista com o seu bispo, Derek falou sobre sua preocupação. O bispo recomendou que Derek lesse o discurso “Você sabe o suficiente” do Élder Neil L. Andersen. Derek sabia e sentia que ele, um recém reativado membro, poderia ensinar com poder e conhecimento ao trabalhar para aprender mais sobre o evangelho.

“Então, pelos próximos 60 dias, me preparei ao máximo que pude, aprendendo tudo o que podia, e entrei no CTM em agosto,” disse Derek.

Como se a cultura do CTM não fosse chocante o suficiente, Derek aprendeu algo durante a prática de uma lição com seu companheiro no CTM, que o pegou completamente fora de guarda.

“Me lembro que íamos começar a ensinar a primeira lição, que fala sobre a restauração da Igreja. E lembro de só ler e pensar ‘Ah é. Eu sei isso. Está tudo bem.’ A Restauração, Joseph Smith, A Primeira Visão, eu sabia todas aquelas coisas. Então eu expliquei a minha parte e meu companheiro continuou. Ele começou a falar sobre o Livro de Mórmon e como foi escrito por pessoas no antigo continente americano sobre Jesus Cristo, e eu olhei para ele e pensei, ‘Espera, o que?’”

Antes, Derek não fazia ideia de que o Livro de Mórmon era um registro de um povo antigo, que veio para as Américas. E o fato de ele não saber algo tão fundamental sobre a pedra angular de sua religião, o deixou menos confiante e um pouco abalado.

E então houve uma devocional onde todos os missionários cantaram “Ó Élderes de Israel” com tanto fervor e poder “parecia que eles sabiam daquilo desde que eram pequenos,” disse Derek.

Derek se sentou em silêncio, olhando para aqueles missionários. “Naquele momento, eu sabia que aquilo era algo em que eu trabalharia,” ele disse.

E assim Derek fez. Durante sua missão, ele leu o Livro de Mórmon de capa a capa e sentiu por si mesmo que era verdade. Durante sua missão, ele também apoiou em uma citação do discurso do Élder Andersen, que o ajudou a se lembrar de que ele estava fazendo a coisa certa:

“Há quase 40 anos, quando enfrentava o desafio de uma missão, sentia-me muito incapaz e despreparado. Lembro-me de ter orado: “Pai Celestial, como posso servir em uma missão, se sei tão pouco?” Eu acreditava na Igreja, mas sentia que meu conhecimento espiritual era muito limitado. Enquanto orava, tive este sentimento: “Você não sabe tudo, mas sabe o suficiente!” Essa confirmação me deu coragem de dar o passo seguinte para entrar no campo missionário.” (“Você Sabe o Suficiente”, Élder Andersen.)

“Da primeira vez que li isso, pensei, ‘Nossa, o que ele passou a 40 anos atrás é exatamente a mesma coisa que estou passando agora. Aquela citação me ajudar a sobrepujar todos aqueles sentimentos de inadequação e falta de entendimento,” disse Derek.

Derek diz que sua missão o ensinou muito sobre si mesmo. E os sentimentos de choque cultural e de ser um peixe fora d’água já não importavam mais. O que importava, era o seu desejo de fazer o que ele havia sido chamado para fazer e de ter fé para continuar.

“Mesmo que eu não soubesse toda a linguagem e todo o conhecimento do Evangelho ou todas as músicas do hinário memorizadas, ou nada daquilo, meu desejo de servir ao Senhor e meu desejo de ser um discípulo de Jesus Cristo eram o suficiente, e sou grato por isso,” ele disse.

Fonte: LDSLiving

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *