Ser grato é o suficiente?

Sempre falamos da necessidade gigantesca de expressar nossa gratidão.

Muitos artigos aqui do maisfe já foram escritos sobre o assunto. A gratidão de fato pode mudar a forma como vivemos e como encaramos tudo ao nosso redor.

Os acontecimentos diários a nossa volta, sempre deixam claro que o Senhor está atento aos detalhes, por menores que eles sejam. E se estivermos sintonizados com Ele poderemos ver Seus milagres também.

É certo que o Senhor pode querer nos abençoar, mas nem sempre nós não fazemos por onde para recebermos Suas bênçãos. Em outras circunstâncias, recebemos as bênçãos e não somos gratos. E em alguns outros casos, recebemos bênçãos e expressamos gratidão.

As escrituras estão cheias de exemplos de pessoas que por terem recebido alguma bênção, expressaram sua gratidão ao Senhor. Lázaro e suas irmãs, Marta e Maria, a mulher que tinha perdido a sua moeda, os leprosos, o cego e muitos outros.

No entanto, gostaria de mencionar uma ocasião das escrituras que me parece que ser grato não foi tudo que uma pessoa pôde fazer.

A parábola é da mulher que foi apanhada em adultério. Essa história está registrada no capítulo 8 do livro de João. Aqui tem um vídeo bem interessante para relembrar a história.

Quando Jesus vai conversar com a mulher, ao contrário que todos ali esperavam, Ele não a condena. Ele pede que ela vá e não peque mais. A escritura não trás essa informação, mas um ponto interessante é que no silêncio daquela mulher sente-se sua gratidão pelo que o Senhor fez por ela.

A gratidão daquela mulher era tanto pelo perdão quanto pela não condenação que poderia levá-la a morte (e certamente levaria se não fosse por Cristo). Mas algo que me toca profundamente são as palavras de Jesus que dizem: “Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.” Essa escritura me dá espaço para pensar que Ele lhe havia dado perdão e em troca, ela abandona o pecado e o Segue!

Não há qualquer outra escritura que diga que essa mesma mulher voltou a sua vida anterior. Ou seja, ela mostra gratidão e ela muda o rumo de sua história seguindo a Cristo e fazendo o que Ele pede.

Em resumo, o que quero dizer é que não basta ser grato, é preciso fazer o que o Senhor pede de cada um de nós.

A Expiação pode nos ajudar na jornada. Através da Expiação, podemos nos arrepender sempre mudar. Sejamos gratos por tudo e sempre procuremos fazer o que Ele pede de nós.

Relacionado:

Como entender a doutrina e o processo do arrependimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *