4 coisas que toda mãe de primeira viagem precisa ouvir

Como alguém que está se preparando para ser mãe e como amiga e membro da família de muitas mães de primeira viagem, atualmente na lista de ‘conselhos sobre maternidade’. Todo mundo que conheço está ansioso para me dizer o que é ser mãe, e percebi que não importa o quanto eu leia, pergunte ou me prepare, nunca saberei como é ser mãe até que eu realmente seja uma.

Através da minha própria experiência limitada, mas crescente, e conversando com muitas, muitas mães de primeira viagem, eliminei o que acredito serem as quatro coisas mais importantes que qualquer mãe precisa ouvir.

Então, se você está perto de uma mãe de primeira viagem, lembre: embora nós novas mamães e futuras mamães sejamos inexperientes e tenhamos muito a aprender, aqui estão as quatro coisas que realmente precisamos que você diga.

“A maternidade é incrível”

Todos sabemos que a maternidade é difícil, e ninguém a conhece melhor do que uma mãe que a vivencia pela primeira vez. Como ela já está passando por exaustão, preocupação, dor, etc. 24 horas por dia, 7 dias por semana, a última coisa que ela precisa é que outras pessoas insistam no negativo ou digam a ela: “Espere até que ele seja adolescente”.

Claro, se ela quiser falar sobre coisas difíceis, dê ouvidos, mas lembre-se de que o que uma nova mãe precisa ouvir é entusiasmo, encorajamento e admiração por esta maravilhosa aventura em que ela embarcou. Fale com ela sobre todas as belezas da maternidade e sobre a sacralidade e importância de seu chamado.

Em abril de 1999, o Élder Boyd K. Packer citou uma mensagem da Primeira Presidência que dizia:

“A maternidade está próxima da divindade. E o mais elevado, o mais santo trabalho a ser realizado pela humanidade. Ela coloca a mulher que honra seu santo chamado e serviço próxima dos anjos.”

Ela é um anjo escolhido por Deus

Quando você vir uma mãe de primeira viagem, lembre-a dessa gloriosa verdade. Ela é um anjo, escolhido por Deus para cuidar de um de Seus preciosos espíritos enviados do céu. Lembre-a de que Deus a conhece, com imperfeições e tudo, e que, apesar de suas limitações, ela é a mãe de que seus filhos precisam.

Minha cunhada, que acabou de dar à luz seu primeiro filho há algumas semanas, disse: “Quando penso em como é incrível que um espírito tão grande tenha sido colocado neste pequeno corpo minúsculo e que eu possa cuidar dela e ensiná-la sobre o mundo, sinto-me cheia da gratidão do Espírito”.

Outra jovem mãe escreveu ao Élder Holland:

“Apesar de todos os altos e baixos e das lágrimas ocasionais, sei do fundo do coração que estou fazendo o trabalho de Deus. Sei que em meu papel de mãe sou Sua sócia eterna. Sinto-me profundamente tocada por saber que Deus considera Seu mais importante propósito e objetivo o fato de ser Pai, mesmo que alguns de Seus filhos O façam chorar”.

Pode ser interessante: Uma carta aberta para 5 tipos de mães

“Você é linda”

Algumas novas mães podem se sentir à vontade para falar sobre os detalhes extremamente pessoais da maternidade, mas a maioria não. A menos que ela mesma forneça as informações, por favor, não pergunte sobre quanto peso ela ganhou ou quanto ainda precisa perder. Não peça para ver suas estrias. Não diga que ela parece cansada ou cheira a leite.

Em vez disso, diga que ela é linda, forte e corajosa. Elogie-a pelo feito milagroso que ela realizou ao trazer uma criança ao mundo e por navegar em um território novo e desconhecido. Aponte o brilho em seus olhos enquanto ela abraça seu pequeno. Comente o que ela está fazendo certo.

O Élder Holland disse:

“Quero dizer às mães coletivamente, em nome do Senhor, que vocês são extraordinárias. Estão saindo-se muitíssimo bem. O próprio fato de terem recebido essa responsabilidade é a eterna prova da confiança que seu Pai Celestial deposita em vocês.”

“Siga sua intuição”

A avalanche de conselhos parentais conflitantes de amigos, familiares, médicos e da internet pode ser muito esmagadora para uma mãe de primeira viagem. E embora seja importante ser educado, na maioria das vezes o melhor conselho, como disse uma das minhas amigas e mãe, é simplesmente “siga sua intuição”.

O Espírito Santo opera por meio de pensamentos e sentimentos simples. O Presidente Spencer W. Kimball disse na revista Friend em 1971:

“Essas instruções ou advertências enviadas do céu que os pais recebem para suas famílias podem ser chamadas de intuição ou a voz do Senhor vindo de fontes celestiais para proteger seu lar”.

O Presidente Kimball disse que sua própria vida foi salva inúmeras vezes pela intuição de sua mãe.

“Durante minha infância, houve muitas ocasiões em que a compreensão instrutiva e intuitiva de minha mãe a levou a saber que precisava de ajuda.

Certa vez, em uma noite de tempestade, ela mandou meu pai procurar por mim, apenas para descobrir que meu cavalo havia tropeçado e me jogado em uma poça de lama semicongelada. Minha mãe sabia que eu precisava de ajuda.

Alguém cunhou uma declaração de grande significado: ‘Deus não poderia estar em todos os lugares e, portanto, ele fez as mães.”

Então, mamães: não importa o que digam, sigam sua intuição materna. Seu Pai Celestial conhece seu bebê melhor do que todos, e você conhece seu bebê em segundo lugar. Não deixe que o conselho bem-intencionado de outra pessoa atrapalhe isso.

Todos os outros: compartilhe seu conselho quando for solicitado, mas certifique-se de que a mãe saiba que sua intuição é sua melhor ferramenta e aplauda-a por segui-la mesmo que a abordagem dela seja diferente da sua.

“Você não está sozinha”

Finalmente, as novas mamães precisam saber que não estão sozinhas. A irmã Bonnie L. Oscarson disse:

“O cerne da questão é que realmente e verdadeiramente precisamos umas das outras. As mulheres por natureza buscam amizades, apoio e companhia.”

Essa amizade, apoio e companheirismo são especialmente importantes para uma mãe que de repente se vê presa em casa e trilhando o caminho desconhecido da maternidade.

Uma visita, um telefonema, uma mensagem de texto e, especialmente, um par de mãos amigas para lavar a louça ou lavar a roupa são exatamente o que uma mãe de primeira viagem precisa.

Evite a temida frase “Deixe-me saber se precisar de alguma coisa” e ofereça ajuda específica a uma nova mãe, como “Eu fiz o jantar para você. Quando é um bom momento para deixar em sua casa?” ou “Tenho algumas horas livres na sexta-feira. Posso vir cuidar do bebê enquanto você dorme?”

Veja também: Me tornei mãe durante a pandemia e foi assim que encontrei paz

O Pai Celestial e você

Além disso, as mamães de primeira viagem precisam saber que não importa a hora, dia ou noite, elas têm um Pai Celestial que está ao lado delas e anjos que as apoiam.

Em uma mensagem para as mães, o Élder Holland disse:

“Façam o melhor possível durante esses anos, mas seja o que for que fizerem, desfrutem intensamente esse papel que é unicamente de vocês, e pelo qual até mesmo os céus enviam anjos para zelarem por vocês e seus pequeninos.

Não é possível fazerem tudo isso sozinhas, mas vocês têm ajuda. O Mestre do Céu e da Terra estará a seu lado para abençoá-las. Ele que, resolutamente, vai atrás da ovelha desgarrada, varre cuidadosamente a casa à procura da moeda perdida, espera eternamente pela volta do filho pródigo. Vocês estão realizando o trabalho de salvação e, portanto, serão magnificadas, recompensadas e tornar-se-ão melhores e mais capazes do que jamais foram ao procurarem fazer um esforço sincero, não importa quão débil ele lhes pareça algumas vezes.”

Mães, vocês têm em parceria eterna com Deus na criação de Seus filhos. Ele escolheu vocês e não as abandonará. Valorizem cada momento e lembre-se, vocês não estão sozinhas.

Fonte: LDS Living

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.